sexta-feira, 19 agosto, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Relacionamento aberto já é opção para 40% dos brasileiros

A poligamia é a união oficial entre três ou mais indivíduos. Essa é uma definição científica deste comportamento. Contudo, estar com mais pessoas em uma relação amorosa parece que deixou de ser tabu e se tornou um desejo, não oficial.

É importante lembrar que este é um costume que vai e volta na sociedade. Nos tempos primórdios, quando os indivíduos ainda eram nômades, estar com mais de uma pessoa ao mesmo tempo era comum. Ou seja, a monogamia só passou a ganhar mais espaço quando o homem se fixou em apenas um local. Neste cenário é possível que a escolha pela monogamia tenha tido um fundo de necessidade financeira, uma vez que partilhar bens em apenas uma família era mais fácil do que dividir para várias. Lembrando que, no Brasil, a poligamia não é permitida. Por Lei, caso seja reconhecido o ato deve ser punido judicialmente.

Trazendo essa discussão para um processo mais comum. O relacionamento aberto é , também, motivo de discussão. Principalmente porque se tornou mais evidente com a geração Z, que não afirma não se prender a rótulos.

Segundo Carmita Abdo, psiquiatra e coordenadora geral do Projeto de Sexualidade do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, há pessoas que não se adaptam à exclusividade e precisam buscar alternativas para viver um relacionamento saudável.”- Afirma.

Em pesquisa realizada pela Sex Shop Miess, a nível nacional, 40% dos brasileiros estão mais dispostos a relacionamentos abertos! A faixa etária que mais se interessa por relações abertas são os jovens e jovens adultos entre 18 e 35 anos. Mulheres heterossexuais lideram o desejo de abrir a relação.

Para Vitória Bredoff Alves, 20 anos, estudante do curso de Ciências Sociais da Universidade de São Paulo na Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas (FFLCH), lésbica e em um relacionamento monogâmico, o assunto é mais complexo. “O tema não pode se limitar entre ser a favor ou contra uma relação aberta ou fechada.”

Vitória cita, ainda, a Socióloga Marília Moscou que produziu o Podcast Librecast no qual, junto com convidados, modelos não tradicionais de relacionamento são discutidos. “Dialogar sobre o tema, é essencial para trazer mais luz e profundidade às respostas buscadas”. Afirma a estudante!

Larissa Siriani, autora de 32 anos, assumidamente bissexual e parte de um trisal o mundo de descobertas é atrativo e apaixonante. “A rede de apoio, e a busca por uma compreensão maior de si antes de querer se encaixar no ideal de outra pessoa é um desafio. Não que isso não exista na monogamia, mas a gente aprende mais pra sair de um modelo do que tentando pertencer a ele. Eu descobri e descubro coisas sobre mim todo dia, e aprendi a realmente me relacionar comigo mesma primeiro para só depois conseguir me relacionar com eles.”- afirma a escritora.

Pensar em relação amorosa é mais complexo do que pensar, necessariamente, em quem está ao seu lado. Neste contexto, a busca por descobertas é o chamariz para a curiosidade e desejo de experimentar o novo!

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas