segunda-feira, 15 agosto, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Netflix procura franquia que alivie a queda do número de assinantes

A Netflix, o maior serviço de streaming do mundo, com cerca de 220 milhões de membros, está em busca de um sucesso que traga mais assinantes e, de preferência, seja uma grife da plataforma. “Eu acredito que eles esperam encontrar uma galinha dos ovos de ouro em algum momento”, disse o analista de mercado Bruce Nash ao site The Wrap. “O grande ponto fraco da Netflix em comparação com Disney+ e HBO Max é não ter direitos exclusivos de uma franquia cinematográfica, então faz sentido eles continuarem tentando preencher essa lacuna.”

Nos últimos meses, a antes aparentemente inabalável companhia, pioneira do streaming, sofreu alguns baques. Em abril, as ações caíram 37% com a notícia de que tinha perdido 200 mil assinantes, o que provocou demissões em massa. As previsões para o segundo trimestre eram ainda mais catastróficas. E, de fato, a Netflix perdeu 970 mil assinantes. Mas as ações subiram. Isso porque o número, embora represente um recorde de perdas, foi bem menor do que o esperado, graças, principalmente, à quarta temporada de Stranger Things.

VOLUMES

Por isso a vontade de que superproduções como Alerta Vermelho, com Ryan Reynolds, Dwayne Johnson e Gal Gadot, e agora Agente Oculto virem franquias e conquistem fãs dispostos a assinar o serviço por causa desses produtos. Em entrevista ao jornal The New York Times, o diretor de filmes mundiais Scott Stuber disse: “Não estamos reduzindo drasticamente os investimentos, mas vamos reduzir volumes. Estamos tentando ser mais conscientes. Estávamos em um negócio que apostou por muito tempo no volume. Agora estamos sendo mais estratégicos e focados”. Neste ano fiscal, a empresa espera investir US$ 18 bilhões em conteúdo.

Há décadas os grandes estúdios de cinema de Hollywood produzem quase somente superproduções que custam acima de US$ 150 milhões. Daí a necessidade de marcas fortes e conhecidas, sejam originalmente quadrinhos ou livros, para trazer um público gigante aos cinemas. A questão é que a Netflix não tem a mesma rentabilidade – por mais que tenha aumentado os preços, eles ainda são inferiores aos arrecadados nas bilheterias. Mesmo com o sucesso, Alerta Vermelho não foi capaz de ajudar a alcançar a meta de assinantes para aquele trimestre. Mas a Netflix deve seguir tentando.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Mariane Morisawa, especial para o Estadão
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas