sábado, 2 julho, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Em novo programa, Monica Iozzi mostra a importância de se falar sobre política

Desde criança, Monica Iozzi conta que já tinha interesse especial pela política, a ponto de ficar grudada na televisão para acompanhar os programas partidários. Essa afeição ganhou ênfase em sua trajetória artística – primeiro ao integrar o time do programa CQC, nos anos 2010, quando pôde lidar diretamente com esse tema. Agora, aos 40 anos, a atriz realiza o sonho de comandar um programa que, nesta temporada, irá discutir política de várias formas e com diversos convidados. Assim, ela estreia Fale Mais Sobre Isso, Iozzi, nesta segunda, às 21h45, no Canal Brasil, com direção de André Barcinski.

Ao todo, serão 13 episódios com temas diferentes que, como explica a apresentadora, são tratados a partir do básico. Na estreia, Monica conta com Leandro Karnal, Fábio Porchat e Majur para tentar explicar “O Que É Política?” Nos seguintes, continua Monica, a ideia é responder a outras questões, mas sempre ligadas à política, como no dia em que se discutirão os temas “Como se Faz um País”, “As Dores e as Delícias da Democracia”, “Ideologias Políticas”, “Política e Religião”, “Corrupção na Política”, entre outros. “Gosto muito do nosso último episódio”, revela a atriz, “a Política do Amanhã, onde a gente fala sobre iniciativas inteligentes e não só partidárias, aquelas com as quais lidamos no dia a dia: como as entidades civis se organizam para fazer trabalhos legais. Assim, fechamos com um olhar de esperança.”

Leveza

“Quero falar sobre política de um jeito leve, para que qualquer pessoa totalmente leiga possa acompanhar e que seja interessante e muitas vezes divertido”, enfatiza Monica, destacando dois pontos que mais a motivam. Ela conta que a ideia veio de sua experiência quando estava no CQC e também pelos comentários em suas redes sociais. Nesse contato com o público, percebeu o grande desinteresse por política, algo que se justifica por dois motivos. “O primeiro é que as pessoas realmente acreditam que política é uma engrenagem viciada, todo político é bandido e, por isso, se distanciam dela”, diz.

O outro ponto foi perceber que as pessoas não entendiam direito como cada instituição funcionava. Segundo sua percepção, as pessoas não sabiam a diferença entre os poderes Legislativo, Executivo, Judiciário, tampouco o que fazem um vereador, deputado estadual ou deputado federal. “Enfim, dúvidas básicas que inclusive antes mesmo de ir trabalhar com política eu também tinha e acho que todo todos temos em alguma esfera.”

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Eliana Silva de Souza
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas