Há 98 anos, morria o escultor francês Auguste Rodin - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Variedades
Há 98 anos, morria o escultor francês Auguste Rodin
Publicado por Redação VitóriaNews
Divulgação Musee Rodin

Nasceu em Paris em 12 de novembro de 1840 e faleceu na comuna francesa de Meudon em 17 de novembro de 1917, aos 77 anos.

Rodin é considerado pelos especialistas em artes plásticas um dos mais importantes escultores em bronze de todos os tempos. Grande parte de suas obras estão expostas no Museu Rodin em Paris e nos mais importantes museus do mundo.

Na década de 1880, Rodin criou outras quatro grandes esculturas: “O pensador” (1880), ”O beijo” (1886), “Os cidadãos de Calais” (1886) e “O filho pródigo” (1889).

A primeira grande obra de Rodin, realizada em Bruxelas, já mostrava toda a maestria do escultor, sua atenção para a natureza viva na atitude e modelagem. Um jovem soldado belga, Auguste Ney, posou para este trabalho. Foi exibido no Bruxelas Art Circle, em 1877, sem título, e, em seguida, no Salão de Paris sob o nome “A idade do Bronze”, onde causou um escândalo.

A estátua também é conhecida como o homem que derrotou o despertar ou que evoca o homem dos primeiros tempos. Ela tinha originalmente uma lança na mão esquerda, conforme mostrado em uma fotografia de Gaudenzio Marconi, mas Rodin optou por excluí-la para limpar o atributo de quaisquer armas e dar uma nova dimensão para o gesto.

Acusado durante sua exposição em Paris, de ter moldado a escultura diretamente no modelo, Rodin tinha que provar que a qualidade da modelagem de sua escultura veio de perfis de estudo. Seus críticos, finalmente, reconheceram a boa-fé do escultor. O escândalo, no entanto, chamou a atenção para Rodin e lhe rendeu o comando “A porta do Inferno” em 1880, um conjunto de portais a ser instalado no Museu de Artes Decorativas de Paris, que havia sofrido um incêndio.

Fonte: Musee-rodin/EBC

Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.