Vale recebe lista de 15 candidatos à presidência, mas seleção ainda deve ganhar mais nomes

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – A Vale recebeu da consultoria Russel Reynolds uma lista de 15 possíveis candidatos a substituir Eduardo Bartolomeo no comando da companhia, em mais uma etapa de um processo de sucessão que ganhou contornos políticos após tentativa de ingerência do governo.

A mineradora não comenta o assunto, mas fontes próximas dizem que a lista ainda será depurada até que o conselho de administração da companhia receba três nomes para avaliação, incluindo indicações da consultoria e possíveis candidatos internos.

A lista foi anunciada inicialmente pelo jornal “O Globo” e confirmada pela reportagem. Inclui executivos e ex-executivos de algumas das maiores empresas brasileiras, como Embraer, Gerdau ou Klabin. Não há nomes com proximidade com o governo.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) tentou interferir no processo ao sugerir o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega para a presidência da Vale. O nome foi vetado pelos acionistas, que decidiram em maio contratar a consultoria internacional, como prevê o estatuto da mineradora.

Bartolomeo, cujo mandato vencia em maio, foi convidado a permanecer no comando da empresa até que o processo de sucessão seja concluído. Em meio à turbulência, um dos conselheiros da mineradora, José Luciano Penido, renunciou ao mandato acusando o conselho de manipulação e conflito de interesses.

Penido voltou atrás depois, ao ser questionado pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários) a respeito das acusações. Na semana passada, a Vale perdeu outra conselheira, a canadense Vera Marie Inkster, que também renunciou ao cargo.

Uma fonte ouvida pela reportagem diz que a lista da Russel Reynolds não é definitiva: considera apenas executivos externos que preenchem os requisitos esperados para o comando da companhia e que teriam interesse em seguir no processo.

Segundo o jornal “Valor Econômico”, conteria dois executivos ligados ao setor de mineração: Ruben Marcos Fernandes, da concorrente Anglo American, e Marcelo Bastos, que foi da BHP e hoje está no conselho da Anglo.

Um dos executivos seria do setor de siderurgia, cliente da Vale: Gustavo Werneck, da Gerdau. E três do setor automobilístico, também na mesma cadeia industrial: Pablo di Si, da Volkswagen; Antônio Filosa, da Jeep; e Antônio Maciel Neto, da Caoa.

O restante seria formado por executivos dos setores de energia, agronegócio e celulose, além do presidente da Embraer, Francisco Gomes Neto. A lista incluiria ainda o ex-presidente da Petrobras Pedro Parente, que foi ministro no governo Fernando Henrique Cardoso.

Fontes próximas ao processo dizem que, embora fora dessa lista, o atual diretor Financeiro da Vale, Gustavo Pimenta, é forte candidato ao cargo.

Em comunicado ao mercado, a Vale afirmou que seu conselho de administração ainda não definiu a lista de candidatos e que o processo de sucessão “é executado em conformidade com o estatuto social e as políticas corporativas da companhia”.

A empresa Russell Reynolds, afirmou, “segue desempenhando os serviços de assessoria para a seleção do novo presidente da companhia”. “As ações de competência do conselho de administração da Vale continuam em execução.”

Compartilhe: