1º ano de usina solar instalada em universidade supera expectativas - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Sustentabilidade
1º ano de usina solar instalada em universidade supera expectativas
Publicado por Redação VitóriaNews
O engenheiro Ednei Zaupa explica os benefícios alcançados. Divulgação

Em menos de um ano em operação, a Usina Solar Fotovoltaica da Unoeste apresentou grandes benefícios ambientais e financeiros. De março a dezembro de 2019 foram 4.278.916 kWh (quilowatt-hora). O empreendimento gerou uma economia de mais de R$ 2 milhões, o equivalente a 19% do investimento total, e o que isso representa ao meio ambiente pode ser conferido no infográfico.

Os dados apresentados são da, empresa responsável pela implantação da usina no campus II. Inaugurada em março do ano passado, trata-se da maior usina solar fotovoltaica do estado, no modelo de geração distribuída autoconsumo (até 5 MW), segundo informou a Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do governo paulista na época de sua inauguração.

São 9.334 placas fotovoltaicas, instaladas numa área de 40 mil m², o que compreende mais de 4 vezes o campo do Maracanã – maior estádio do país. Com uma potência de 3.12 megawatts (MWp) e 2.5 MWp em conversão, a usina poderia abastecer 2,5 mil residências.

O engenheiro eletricista do Departamento de Obras da universidade, Ednei Zaupa, explica que a energia solar é uma fonte de energia renovável e inesgotável. “Ao contrário dos combustíveis fósseis, o processo de geração a partir dela não emite gases poluentes nocivos à saúde e que contribuem para o aquecimento global”.

Ednei ressalta que o funcionamento da usina no campus II, neste primeiro ano, até extrapolou as expectativas. Isso porque, além de cumprir o compromisso ambiental, o retorno financeiro dos quase R$ 11 milhões investidos (somente na instalação) deve atingir sua totalidade muito antes dos oito anos previstos, já que em menos de um ano superou os 19% do investimento total. Segundo ele, a economia média mensal tem sido de 80%.

No campus II, o abastecimento energético abrange cerca de 200 salas de aula, aproximadamente 60 clínicas e laboratórios, além do maior Hospital Veterinário da região, todos ambientes climatizados. Os mais de 4 milhões de kWh gerados até janeiro de 2020 também supriram parte da demanda energética do campus I, o que acarretou numa economia de quase R$ 196 mil somente neste local.

Conforme o engenheiro eletricista, os novos campi da Unoeste em Jaú e Guarujá também serão autossustentáveis, com a geração de energia limpa e renovável. No município jauense, o prédio terá 14.681,24 m² de área construída e no litoral paulista 16.778,47 m².

Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.
Notícias Relacionadas