A Prefeitura da Serra, por meio da Secretaria de Meio Ambiente (Semma), está realizando um estudo que vai permitir prever o avanço ou o recuo do mar nos próximos 50 anos. O objetivo é se preparar para esses eventos e evitar transtornos à população.

O estudo morfodinâmico abrange as características dos 23 quilômetros de litoral da Serra. Com os resultados já obtidos, é possível observar pontos que necessitam de atenção especial, como, por exemplo, trechos situados nos bairros Marbella, Nova Almeida, Costa Bela, Praia da Baleia e São Francisco.

Para esses locais serão propostas intervenções com obras de engenharia, como, por exemplo, de engordamento da faixa praial. Estima-se a utilização de 120 mil m3 de areia para o engordamento, com larguras que irão variar entre 15 e 40 metros de comprimento, de acordo com a necessidade da região.

De acordo com a secretária de Meio Ambiente da Serra, Áurea Galvão, além dessas intervenções, foi observada, ainda, a necessidade de preservação e recuperação da vegetação nativa de restinga em todo o litoral. “Essa vegetação contribui significativamente para fixar a areia e impedir a erosão das praias, assim como para o seu processo de engordamento natural”, afirma.

O estudo está em fase de conclusão e a previsão é de que fique pronto ainda neste primeiro semestre.