Semi em SP, final no Rio e Brasileiro parado: o plano da CBF para Copa 2027

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – A candidatura do Brasil para sediar a Copa do Mundo Feminina 2027 concorre nesta sexta-feira (17) com uma tríplice aliança europeia, formada por Bélgica, Holanda e Alemanha, e tenta receber a maioria dos votos das associações ligadas à Fifa. Pode ser a primeira Copa do Mundo Feminina em solo sul-americano. Mas quais são os planos brasileiros?

Quando será a competição?

O Brasil propõe que a Copa do Mundo Feminina seja entre 24 de junho e 25 de julho de 2027.

Quais os estádios envolvidos

A proposta é que o Maracanã, no Rio de Janeiro, seja o palco da abertura e da final do Mundial.

Ao todo, a candidatura brasileira tem dez estádios/cidades.

Os outros locais são: São Paulo (Neo Química Arena), Porto Alegre (Beira-Rio), Belo Horizonte (Mineirão), Brasília (Mané Garrincha), Cuiabá (Arena Pantanal), Salvador (Arena Fonte Nova), Recife (Arena Pernambuco), Fortaleza (Castelão) e Manaus (Arena da Amazônia).

O estádio do Corinthians estaria na competição até as semifinais. A outra semifinal seria em Brasília.

A Fifa considerou que os estádios brasileiros estão em “boas condições e atendem à maioria dos requisitos” para receber a Copa do Mundo.

Todos os dez receberam jogos da Copa do Mundo masculina, em 2014.

Impacto no calendário

A CBF já disse à Fifa que as competições nacionais serão interrompidas durante a Copa. Ou seja, nada de Brasileirão masculino, por exemplo, durante a Copa feminina. Isso vai demandar um ajuste de calendário em 2027.

Essa pausa é para que o Mundial não tenha concorrência de atenção e espaço com outros torneios.

Qual o gancho da candidatura?

O slogan escolhido foi “Natural como o futebol”. O gancho é levar à Copa do Mundo um aspecto de sustentabilidade e tratar o Brasil como uma “escolha natural”. No duplo sentido mesmo, valorizando a natureza local.

Acomodações para times e árbitros

O Brasil propôs 44 centros de treinamento espalhados pelo país. Sendo três locais para árbitros e mais 39 hotéis nas cidades-sede. Todos esses hotéis têm um local de treino associado. Ao todo, são 86 hotéis e 86 locais de treino.

Onde vai ser o IBC?

A proposta é que o Centro de Transmissão Internacional (IBC, sigla em inglês) seja no Rio. E há duas opções: uma no Parque Olímpico, no mesmo local que recebeu a estrutura para os Jogos Olímpicos de 2016, e o Riocentro, onde ficou o IBC durante a Copa do Mundo.

A Fifa considera que o Riocentro é o melhor local.

Fan fests?

A ideia é que todas as dez capitais tenham fan fests. No Rio, isso inclui a praia de Copacabana.

Parte comercial

O Brasil se coloca como um país de baixo risco para a Fifa em termos de geração de receita.

A perspectiva é otimista a respeito do envolvimento do mercado em termos de patrocínios e outras linhas de arrecadação, como hospitalidade e marketing.

Os custos da Fifa, considerando o câmbio do dólar em relação ao Real, seriam relativamente baixos.

Legado?

A proposta é de legado esportivo e estrutural para o futebol feminino no Brasil.

O relatório da Fifa citou os planos da CBF de reforçar a pirâmide competitiva do futebol feminino, criando 54 competições estaduais, com ajuda das federações, para as categorias sub-15 e sub-17.

A CBF também lançou a seleção feminina sub-15 como parte do plano de reestruturação.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.