Rodrigo Caio deixa Fla na memória do torcedor e com frustração por Sampaoli

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Rodrigo Caio encerra nesta quarta-feira (6), contra o São Paulo, a trajetória de sucesso e várias dores no Flamengo. Bem fisicamente, ele fez a segunda temporada com menos jogos pelo clube.

O zagueiro entrou em campo 13 vezes neste ano. Mesmo participando dos treinamentos, praticamente não recebeu oportunidades. Segundo ele, nunca houve justificativa para o esquecimento.

Rodrigo garante que esteve bem e sem problemas físicos. A principal crítica é a um dos treinadores que passou pelo clube neste ano.

“Essa temporada foi muito difícil mentalmente porque estive bem em toda ela. Não tive as oportunidades, principalmente com o Sampaoli. Não tive explicação de porquê não estava jogando. Respeitando todos os meus companheiros, mas claro que gostaria de terminar a passagem pelo Flamengo de forma diferente. Isso já faz parte do passado, preciso viver o agora e o que vai acontecer daqui para frente”, afirmou o jogador.

Ele ficou seis meses sem jogar com Jorge Sampaoli. Foram só duas partidas no período do argentino e 39 jogos no banco de reservas. Ele teve sete jogos com Vítor Pereira e chegou a quatro com Tite.

Rodrigo Caio admitiu não ter vontade de treinar em vários momentos e colocou nos companheiros a motivação que precisava para seguir o dia a dia no CT.

Só lesões fizeram Rodrigo não atuar tanto. Em 2022 ele só jogou 12 vezes, o menor número desde a estreia dele no profissional pelo São Paulo. A última lesão foi justamente no final do ano passado.

Rodrigo e Flamengo decidiram mutuamente pela não renovação. O clube entendia que o ciclo havia terminado e o zagueiro também. A conversa aconteceu ainda no meio do ano.

“Em nenhum momento quis me colocar acima do Flamengo. Sempre coloquei o Flamengo acima de tudo. Infelizmente as coisas não aconteceram como eu desejava neste ano. Queria sair de outra forma, jogando. Não foi possível, não por mim, mas porque não tive as oportunidades que eu acho que merecia naquele momento. Deixo um legado de respeito, entrega e dedicação independente das circunstâncias. Em muitos momentos não queria estar lá no CT, sabia que não iria jogar. Olhava para meus companheiros e foi muito por eles. Persistir, acreditar, confiar e trabalhar. Saio em paz e com o coração limpo”, disse.

O defensor ainda não tem um clube acertado. Ele chegou a receber sondagens em estágio inicial, mas não houve proposta.

Rodrigo Caio deixa o Flamengo com dez títulos conquistados desde 2019. Ele iniciou a Era vencedora do clube em 2019 e foi ovacionado pela torcida na despedida do Maracanã. Apesar de ainda não saber se vai ao Morumbi, espera encerrar com chave de ouro o último ano no rubro-negro.

“Me sinto apto. Foi uma temporada com poucas oportunidades dentro de campo, infelizmente, mas fora dele consegui ter uma sequência de treinos. Treinei praticamente o ano inteiro muito forte, não perdi nenhuma atividade. Me sinto totalmente capacitado em performar. É um novo ciclo”, disse.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Pinterest
Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.