R.E.M. afirma que não acreditava no sucesso de ‘Losing My Religion’

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A formação original da banda R.E.M. concedeu a primeira entrevista depois de trinta anos. O guitarrista Peter Buck, o multi-instrumentista Mike Mills, o vocalista Michael Stipe e o baterista Bill Berry se reuniram novamente durante o programa americano CBS Mornings.

O encontro foi feito para celebrar a entrada do grupo no Songwriters Hall of Fame, fundação criada para homenagear compositores que alcançaram excelência em sua área de atuação.

“Composição é a área na qual trabalhamos com mais empenho desde o começo”, disse Mike Mills. Já para Bill Berry compor era uma questão de sobrevivência. “A gente tinha que escrever músicas o mais rápido possível para colocar comida na mesa.”

Em 1995, Berry sofreu dois aneurismas no palco. “Foi um momento estranho para mim, então tornei as coisas estranhas para os outros membros da banda”, diz o baterista, que decidiu sair do grupo dois anos após o problema de saúde.

“O aneurisma e a cirurgia diminuíram a minha energia. Eu já não tinha a motivação de antes”, disse ele, acrescentando que se arrependeu da decisão. “Eu não me arrependi no momento em que deixei a banda, mas me arrependi depois.”

Em 2011, os outros membros se separaram. “Acho que a razão principal é que naquele momento a gente não conseguia concordar em nada em termos musicais. Que tipo de música fazer, como gravá-la, se teria turnê ou não. A gente mal conseguia concordar sobre onde jantar”, disse Peter Buck.

Durante a entrevista, ele afastou a possibilidade de um retorno. “Jamais seria tão bom quanto antes”.

Apesar disso, eles deram uma palinha na cerimônia do Songwriters Hall of Fame em homenagem ao quarteto. Nesta quinta (13), eles cantaram “Losing My Religion”, o principal sucesso do R.E.M. A faixa entrou no top cinco da parada de sucessos dos Estados Unidos quando foi lançada, em 1991.

Embora tenha marcado a discografia do grupo, a música surgiu de forma despretensiosa quando eles estavam dedilhando um bandolim. “Eu amo essa música, mas a gente nunca pensou que se tornaria um hit”, diz Michael Stipe.

A separação dos integrantes não diminuiu a admiração que eles sentem um pelo outro. “Acho que a gente parou na época certa. Foi um ótimo momento para terminar. Fizemos uma ótima turnê, um excelente álbum e fomos para casa”, disse Peter Buck.

Compartilhe: