Putin diz a Coreia do Sul que enviar armas para a Ucrânia seria ‘grande erro’

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quinta-feira (20) que a Coreia do Sul cometeria um “grande erro” se enviasse armas para a Ucrânia, e que Moscou poderia responder enviando equipamento militar para a Coreia do Norte.

Seul levantou a possibilidade de armar Kiev depois da visita de Putin a Pyongyang, onde o líder russo se encontrou com o ditador Kim Jong-un e assinou um pacto de defesa mútua com a ditadura norte-coreana. Os termos do acordo estipulam que, caso um dos países seja atacado, o outro virá ao seu socorro, e prevê mais cooperação militar.

Putin também disse durante a visita que pode fornecer mísseis de precisão para Pyongyang como retaliação pela autorização dada pelos Estados Unidos e seus aliados para que a Ucrânia use armas ocidentais contra alvos na Rússia.

Como resposta, a Coreia do Sul, apoiada diplomatica e militarmente por Washington, convocou o embaixador russo para explicações, e aventou a possibilidade de entregar armas à Ucrânia, que está em guerra contra a Rússia.

“Enviar armas letais para zonas de combate na Ucrânia seria um grande erro”, disse Putin, em visita ao Vietnã. “Se isso acontecer, tomaremos a decisão correspondente, que não deverá agradar os líderes atuais da Coreia do Sul”, acrescentou.

“Aqueles que enviam [mísseis para a Ucrânia] acham que não estão lutando contra nós, mas já disse, inclusive em Pyongyang, que nos reservamos o direito de fornecer armas a outras regiões do mundo, em relação aos nossos acordos com a Coreia do Norte, ressaltou Putin. “Não descarto essa possibilidade.”

Os EUA consideraram a declaração de Putin preocupante. O Departamento de Estado ressaltou que o envio de armas russas ao país comunista asiático “poderia desestabilizar a península coreana, dependendo do tipo de arma, e violar as resoluções do Conselho de Segurança que a própria Rússia apoiou”.

O ministério das Relações Exteriores da Coreia do Sul disse que, na reunião com o embaixador russo Gueorgui Zinoviev, instou a Rússia a “agir de maneira responsável”. O órgão afirmou que o apoio militar de Moscou a Pyongyang inevitavelmente traria um “impacto negativo nas relações” entre Rússia e Coreia do Sul.

De acordo com a embaixada russa, Zinoviev teria dito que “tentativas de intimidar a Rússia são inaceitáveis”. “O embaixador disse que a cooperação entre [Moscou e Pyongyang] não tem como alvo nenhum outro país”.

Compartilhe: