Prefeitura do Rio divulga estudo para justificar aporte de R$ 10 milhões no show de Madonna

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – O show que Madonna fará na Praia de Copacabana, no dia 4 de maio, vai contar com patrocínio de R$ 10 milhões da prefeitura do Rio, conforme publicado na edição da última segunda-feira (8) do Diário Oficial do Município. Quem receberá o montante será a Bonus Track Entretenimento Ltda, que organiza o espetáculo.

O patrocínio gerou questionamentos sobre o uso de recursos públicos para o evento de uma instituição privada, já que o show da cantora faz parte da celebração do centenário do Banco Itaú, do qual ela é garota-propaganda, assim como Fernanda Montenegro, Ronaldo Fenômeno e Jorge Benjor.

Na manhã deste sábado (13), a prefeitura divulgou um estudo em que busca justificar o alto valor investido na apresentação. “Vale frisar que um grande evento ou show, como esse da Madonna no Rio, além dos efeitos econômicos diretos que podem exercer sobre a economia local, também existem efeitos indiretos, que comumente são deixados de lado devido à sua mensuração ser significativamente mais difícil. Esses efeitos dizem respeito aos impactos culturais, políticos ou de imagem referentes a realização desses eventos -que podem ser substanciais”, diz um dos trechos do comunicado.

Segundo o estudo, elaborado pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Econômico (SMDUE), em parceria com a Secretaria Municipal de Turismo (SMTUR), o Réveillon foi usado como base para estimar os potenciais impactos econômicos.

“Sendo assim, a expectativa é de um público de pelo menos um milhão de pessoas. Cariocas e moradores da Região Metropolitana do Rio de Janeiro correspondem a 85% deste total; turistas nacionais, 12%; e turistas estrangeiros, 3%”, afirma o texto.

Esses números, de acordo com a prefeitura, “fazem sentido, dado que já há notícias e informações de voos extras, vindo de várias cidades do Brasil, além do aumento de passageiros na Rodoviária, vindos de ônibus no período do evento, bem como a forte ocupação hoteleira. Em alguns bairros, como Copacabana -local do show-, a ocupação deve ficar perto dos 100%.”

O estudo afirma ainda que, com base em uma pesquisa da FGV sobre o Réveillon 2018, o ticket médio do turista brasileiro é de R$ 491 por dia; do turista estrangeiro, R$ 561. E do carioca e morador da Região Metropolitana do Rio é de R$ 127. O impacto total na economia do Rio seria de R$ 293,4 milhões, com os gastos do público.

Outro trecho do texto lembra que o investimento da Prefeitura do Rio, por meio de contrato de patrocínio, para esse show é de R$ 10 milhões. “Um ponto relevante é que o investimento público da Prefeitura poderá trazer um retorno, em termos de movimentação na economia carioca, de aproximadamente 30 vezes!” (A exclamação consta no documento).

A prefeitura também prevê aumento de arrecadação de 20% nos impostos sobre serviços (ISS) de atividades relacionadas ao turismo, como o setor aeroportuário, rodoviário e de transporte municipal, “que levariam a uma arrecadação de R$ 60,9 milhões neste mês de maio, com um aumento de R$ 10,2 milhões em comparação com o mesmo mês do ano anterior.”

“Ou seja, com base nessas estimativas e hipóteses, o investimento público para o show da Madonna, também seria retornado para a Prefeitura, na mesma magnitude, com aumento da arrecadação de impostos”, afirma o texto.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.