Por que Flamengo jogou no futebol e no basquete com intervalo de 3 minutos

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Basquete e futebol precisaram compartilhar os holofotes no Maracanã na quinta-feira. O Flamengo perdeu o título do NBB para Franca na quadra antes de vencer o Grêmio no campo em “rodada dupla”. No público, torcedores que se dividiam com o horário apertado e complicado.

POR QUE ESSE HORÁRIO

O Flamengo tinha, sim, o desejo de fazer uma rodada dupla. Isso já aconteceu outras vezes com partidas das duas modalidades no complexo.

O regulamento não permitiria uma adequação melhor. O clube tentou mudar o jogo de futebol para às 21h30, mas o intervalo mínimo de 66 horas entre duas partidas não seria respeitado até o duelo diante do Athletico-PR no próximo domingo.

Como será o jogo da TV Globo, não havia o que fazer. Com relação ao basquete, as datas já tinham sido divulgadas há quase um mês. Ou seja, antes de a CBF remarcar algumas datas de jogos após a paralisação do campeonato.

A remarcação influenciou inclusive nos horários no Maracanãzinho. No jogo 1 e no jogo 5, o horário obrigatoriamente foi escolhido na parte da manhã graças a partidas do Fluminense à noite. O Fla entende que às 17h seria o ideal, mas não tinha essa possibilidade. Não haverá, porém, necessidade de uma quinta partida.

O QUE ACONTECEU

Mais de 4.200 ingressos foram vendidos de forma antecipada. A carga total disponibilizada era de 6.000. O Maracanãzinho não ficou lotado.

O ginásio só encheu depois do intervalo. Jogos com início às 18h contam com grande dificuldade do público em chegar cedo. Até o começo do terceiro quarto alguns rubro-negros ainda acessavam o local enquanto vários já estavam nos arredores do estádio para ver o futebol.

O jogo de basquete terminou apenas três minutos antes do apito inicial no futebol. Algumas pessoas abriram mão de ver o final para conseguir chegar com mais tranquilidade às arquibancadas do Maracanã. A reportagem conversou com rubro-negros que disseram se planejar para este movimento.

Franca não teve mobilização de torcida para ir ao ginásio. A delegação também não recebeu um esquema especial de segurança mesmo diante do cenário. A Polícia Militar garantiu ao UOL que acompanha “todas as delegações visitantes em jogos de maior magnitude”.

A PM informou ter preparado um esquema “diferenciado” de segurança para as partidas. “Equipes do Batalhão Especializado em Policiamento em Estádios (BEPE), com apoio de policiais do Batalhão de Ações com Cães (BAC), do Regimento de Cavalaria e demais unidades, estarão mobilizadas para garantir a segurança em toda a praça esportiva”, disse a nota oficial.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.