sexta-feira, 19 agosto, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

PSD oficializa Ratinho Jr. na disputa pela reeleição no Paraná

O governador do Paraná, Ratinho Junior, foi confirmado como candidato à reeleição pelo PSD. A convenção reuniu cerca de 5 mil pessoas em um centro de eventos em Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba, na manhã deste sábado, 30. No encontro, o partido lançou 55 nomes para concorrer a deputado estadual e 31 para federal.

“Expectativa de fazer uma campanha alegre e feliz, como é meu jeito, como fizemos o governo de união, de paz, de construção desse Paraná moderno das grandes obras, mas também o Paraná que cuida. A campanha terá a cara do paranaense: da alegria e da paz”, afirmou o candidato à reeleição.

O vice-governador do Estado, Darci Piana (PSD), foi confirmado novamente para o cargo. Ele era a preferência do governador, que precisou articular interesses dos partidos da ampla base aliada – com mais de 10 legendas. Entre as siglas, estão PP e MDB, que tinham os adversários na disputa em 2018 e têm pré-candidatos ao Senado.

“Darci Piana é um dos paranaenses mais respeitados do País. Tenho muito orgulho de tê-lo como vice, me ajudou demais. Nós governamos o Paraná no pior momento da história, com crise hídrica e pandemia. O Paraná acabou enfrentando bem esses grandes problemas, e o Darci esteve ao meu lado a todo momento”, disse o governador.

O escolhido deverá ter cerca de oito meses como governador no fim do mandato, diante do interesse de Ratinho em se lançar ao Senado ou à Presidência, em 2026.

Ao disputar a reeleição, Ratinho Junior, que está na liderança isolada nas pesquisas, tenta reeditar uma tendência de 28 anos na corrida ao governo do Estado do Paraná. Desde 1994, o governador eleito fica dois mandatos consecutivos no Palácio Iguaçu: foi assim com Jaime Lerner, Roberto Requião e Beto Richa.

Neste ano, com base nas definições em convenções até este sábado, Ratinho Junior terá como adversários: Roberto Requião (PT), Joni Correia (DC), Vivi Motta (PCB) e Ricardo Gomyde (PDT).

Ainda na convenção, ele reafirmou o apoio ao presidente Jair Bolsonaro (PL). “Foi o governo que mais investiu no Paraná nos últimos 30 anos. Como gratidão e reconhecimento temos obrigação de apoiar a candidatura de Bosonaro”, disse Ratinho Junior.

O governador do Paraná também definiu apoio ao deputado federal Paulo Martins (PL), como candidato ao Senado. O nome também é defendido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL). Com a definição, Ratinho Junior frustra os planos do senador Alvaro Dias (Podemos) e de outros três pré-candidatos dos partidos da base: Sérgio Moro (União Brasil), Guto Silva (PP) e Orlando Pessutti (MDB).

“Temos uma aliança muito ampla. Respeitamos todos eles, unidos nesse projeto aqui do Estado. Eu tenho um candidato pessoal, o Paulo Martins. A gente espera que consiga trabalhar com unidade, pensando no Paraná”, disse o governador.

Na disputa pelo apoio de Ratinho Junior, a vaga ao Senado privilegiou o interesse dos bolsonaristas, além de ter contribuído o fato de Martins fazer parte do grupo do governador há anos. A convenção do PL do Paraná será na quarta-feira, 3.

O pré-candidato terá os principais adversários na mesma aliança no Estado. “O ideal seria que, claro, todos os partidos da coligação estivessem comigo. Eu e o governador temos uma relação história, ajudei a construir esse grupo e fico feliz do governador manifestar apoio explicitamente à minha candidatura”, avaliou Martins.

O senador Alvaro Dias reivindicava ser o candidato de Ratinho Junior ao Senado, com base em um acordo costurado na eleição de 2018. À época, o governador apoiou os senadores eleitos Oriovisto Guimarães e Flavio Arns, ambos do Podemos. Dias, que preside o partido no Estado, adiou a convenção para o último dia do prazo, na sexta-feira, 5.

Entre as possibilidades, está a de o Podemos lançar candidatura própria ao governo do Estado, com Arns disputando o cargo. “Não subestimo ninguém, respeito a todos e no dia 5 o Podemos terá sua definição”, afirmou Alvaro Dias neste sábado, ao Estadão.

Carlos Roberto Massa Junior, de 41 anos, nasceu em Jandaia do Sul (PR) e herdou o apelido do pai, o apresentador de TV Ratinho, proprietário de rádios e das afiliadas do SBT no Paraná. Empresário e comunicador, Ratinho Junior começou a trajetória política em 2002, aos 21 anos, quando foi eleito deputado estadual pelo PSB.

Em 2006, pelo PPS, ele se elegeu deputado federal, cargo para o qual foi reconduzido em 2010, à época filiado ao PSC. Nesse mandato, ele ficou pouco mais de um ano como secretário de Desenvolvimento Urbano do Paraná, no primeiro governo de Beto Richa. Em 2012, o então deputado disputou a prefeitura de Curitiba, mas não foi eleito.

Na eleição de 2014, quando apoiou a reeleição de Richa, Ratinho Junior preparou terreno para disputar o governo do Estado no pleito seguinte. Com mais de 300 mil votos, ele foi eleito deputado estadual e ajudou a eleger outros 11 parlamentares.

O político passou a maior parte desse mandato novamente como secretário de Desenvolvimento Urbano. A pasta articula a obtenção de recursos para obras nos municípios. Em 2018, já no PSD, Ratinho Junior foi eleito governador do Paraná no primeiro turno – o mais jovem da história do Estado, com 37 anos.

Ederson Hising
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas