sexta-feira, 24 junho, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Bolsonaro volta a provocar Alexandre de Moraes: ‘vai me prender?’, pergunta

O presidente Jair Bolsonaro (PL) voltou a lançar dúvidas sobre a lisura do processo eleitoral brasileiro e desafiou o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), a prendê-lo por esse motivo. Segundo o chefe do Executivo, o ministro teria dito que quem desconfiar da segurança das urnas “vai ter o registro cassado e preso”. “Alexandre, eu estou desconfiado. Vai me prender? Vai cassar meu registro? Que democracia é essa?”, provocou Bolsonaro, em entrevista à CNN.

O presidente criticou o que chamou, de forma irônica, de “TSE Futebol Clube”. Sem mencionar quais falhas ele considera haver no sistema de votação, disse que a desconfiança serve para aperfeiçoar os equipamentos. Criticou, ainda, a atitude dos ministros da Corte, que, segundo ele, cometem “absurdos”. “Virou lá um grupo fechado. O que se fala é lei”, disse.

Bolsonaro voltou a defender o “voto auditável”, relembrando a proposta do governo pela adoção do voto impresso, derrotada no Congresso no ano passado. Em seguida, ponderou que Alexandre de Moraes deve ter feito a declaração sobre prender quem desconfiasse das eleições “em um momento de cabeça quente”. “Prezado e querido ministro Alexandre de Moraes, você não vai cumprir sua palavra, não é?”.

O presidente também voltou a criticar o WhatsApp, que se comprometeu a aguardar o segundo turno das eleições para disponibilizar no País uma ferramenta que permite a criação de grupos com milhares de pessoas. Disse que se trata de interferência “clara” na liberdade de expressão, e reforçou que deve se encontrar com o CEO da plataforma para discutir o assunto.

Davi Medeiros
Estadao Conteudo
Copyright © 2022 Estadão Conteúdo. Todos os direitos reservados.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas