Juíza condena assessora parlamentar por "fake news" a Pazolini durante campanha - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Política
Juíza condena assessora parlamentar por "fake news" a Pazolini durante campanha
Publicado por Redação VitóriaNews

A juíza Patrícia Leal de Oliveira, do 9º Juizado Especial Cível  da Comarca de Vitória condenou a secretária parlamentar Laudiceia Schuaba Andrade a pagar indenização por danos morais ao prefeito da Capital, Lorenzo Pazolini (Republicanos) no valor de R$ 2 mil. O valor é acrescido de juros de 1%, a contar da data em que foi feita a citação e corrigido monetariamente. Andrade ocupa o cargo de secretária parlamentar no gabinete do deputado Helder Salomão (PT) desde 6 de março de 2019. As informações constam no processo do processo 5007329-09.2020.8.08.0024.

O atual prefeito Lorenzo Pazolini afirmou no relato à Justiça que, “dentre as condutas que lhe foram imputadas, consta suposta invasão a hospital e tentativa de impedir menina estuprada de interromper a gravidez, situações inverídicas que já haviam sido esclarecidas ao público, por meio de nota divulgada pela Promotoria de Justiça da Infância e Juventude de São Mateus e na rede social Index Político, após ter obtido judicialmente o direito de resposta no bojo da ação de nº 5003724-55.2020.8.08.0024, que tramita no 8º Juizado especial Cível de Vitória”.

Na sua contestação (Id nº 6376613), Laudiceia Andrade afirmou que acreditou na veracidade da informação compartilhada, pensando se tratar de mensagem divulgada de forma isenta e informativa, uma vez que a notícia havia sido publicada em matéria da Revista Veja. E que apenas compartilhou um arquivo, sem qualquer postura ofensiva ou difamatória, não sendo responsável pela confecção da imagem. Andrade afirmou ainda em juízo que ao tomar conhecimento de que a mensagem era falsa, retratou-se no grupo. 

 

Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.
Notícias Relacionadas