Frente em defesa do fisco estadual debate demandas da categoria com o governo do ES - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Política
Frente em defesa do fisco estadual debate demandas da categoria com o governo do ES
Publicado por Redação VitóriaNews
Divulgação
A Frente Parlamentar pelo fortalecimento da Receita Estadual, em Defesa dos Auditores Fiscais da Fazenda do Espírito Santo, conquistou um importante avanço nas negociações com o Governo do Estado em torno das reivindicações da categoria.

Em reunião coordenada pela presidente da Frente, deputada Janete de Sá (PMN) ficou acertado que, no próximo dia 26, a categoria terá uma resposta inicial em relação aos pleitos  apresentados hoje ao secretário chefe da Casa Civil, Davi Diniz.

“Depois de seis anos negociando com o Governo do Estado, o secretário da Casa Civil, Davi Diniz, se comprometeu a apresentar uma resposta inicial do governo aos pleitos da categoria já dentro do mês de fevereiro. Vamos ter uma nova rodada de negociação no dia 26, às 10 horas, na sala de reuniões da presidência da Assembleia”, explicou a parlamentar.

O presidente do Sindicato, Geraldo Pinheiro falou da defasagem de pessoal em quase metade do que determina a lei e da diferença salarial da categoria em comparação com outros estados, não pagamento de funções gratificadas, entre outros.

O secretário Davi Diniz reconheceu como legítimas as reivindicações da categoria e se comprometeu a apresentar esses pleitos ao governador Renato Casagrande.

O presidente do Sindicato, Geraldo Pinheiro falou da defasagem de pessoal em quase metade do que determina a lei e da diferença salarial da categoria em comparação com outros estados, e do não pagamento por funções gratificadas, entre outros.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.
Notícias Relacionadas