Polícia prende suspeitos de matar casal a tiros por engano no Paraná

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – Dois suspeitos, de 20 e 26 anos, foram presos temporariamente nesta terça-feira (14) pela morte de um casal encontrado morto na própria cama no dia 30 de setembro de 2023, em Ponta Grossa, no Paraná.

Casal teria sido morto por engano. Investigações apontaram que os criminosos buscavam matar outro indivíduo, que possui histórico de envolvimento com tráfico de drogas. O delegado à frente do caso, Luís Gustavo Timossi, explicou que, na noite do crime, o alvo deixou sua motocicleta estacionada em frente a casa das vítimas.

Luiz Arthur Bach Xavier, 23, e Rubiane Aparecida Mayer, 22, não tinham histórico de envolvimento com crime. “Acreditando que era tal indivíduo que estava na residência, os criminosos invadiram a residência e acabaram matando as vítimas, dois jovens que estavam recém-casados e que não possuíam nenhum histórico de envolvimento com prática de crimes”, explicou o delegado.

Prisão dos suspeitos ocorreu em Guaratuba, no litoral do Paraná, e em Santa Catarina. Operação foi feita em uma parceria da Polícia Civil do Paraná com a Polícia Civil de Santa Catarina.

Polícia diz que apreendeu duas pistolas calibre 9mm, 44 munições, quatro carregadores e dois celulares. Os suspeitos foram encaminhados ao sistema penitenciário. O nome deles não foi divulgado pela polícia. Por isso, a reportagem não conseguiu localizar suas defesas. O espaço segue aberto para manifestação.

Crime ocorreu no dia 30 de setembro de 2023. Os suspeitos invadiram a residência do casal e efetuaram diversos disparos de arma de fogo em direção às vítimas.

RELEMBRE O CASO

Casal foi morto enquanto dormia. Duas portas teriam sido arrombadas no imóvel, de acordo com a RPC, afiliada da TV Globo no Paraná. A Polícia Militar informou à reportagem que foi acionada para atender a ocorrência de disparo de arma de fogo por volta das 2h da madrugada do sábado.

No local, o casal foi encontrado já morto, sobre a cama, e com marcas de tiros. Segundo uma testemunha, dois homens em um veículo de cor escura teriam entrado na residência e cometido o crime.

Na casa foram encontradas cerca de 15 cápsulas de bala deflagradas, segundo a RPC, afiliada da TV Globo no Paraná. Luiz era segurança e se preparava para fazer um concurso do Corpo de Bombeiros. Rubiane era assistente de caixa em uma loja e fazia faculdade de administração.

O casal morava junto havia oito meses na casa alugada. “Sim [eles pensavam] em comprar uma casa própria, já estavam até conversando com amigos para ajudá-los a achar a casinha deles. Engrandecia a gente ver a união dos dois juntos. Era muito bonito. Se amavam de verdade”, disse José Edson Lopes Xavier, pai de Luiz.

Familiares falam em fatalidade. O pai de Luiz, José Edson Lopes Xavier, disse à emissora acreditar que ocorreu uma “fatalidade”. “Um erro, uma falha, algo inexplicável”. “As pessoas que fizeram isso, com certeza, erraram o alvo, erraram a casa, as pessoas. Foi uma fatalidade para nós, está sendo um aperto no coração que vai ficar para a vida toda”, acrescentou.

Silvana Aparecida Mayer, mãe de Rubiane, também acha que a morte do casal foi um “engano”.

“Foram ceifadas [as vidas] de dois inocentes, de duas famílias. São duas famílias destroçadas”, lamentou o pai de Luiz.

A mãe de Rubiane disse que ela “sempre foi uma menina muito querida, muito amada, meiga e estudiosa”.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.