PM que atuava contra milícias do Rio é morta em emboscada na frente de casa

SÃO PAULO, SP (UOL-FOLHAPRESS) – Uma policial militar que atuava em setor que investiga as milícias no Rio de Janeiro foi morta em uma emboscada na noite desta sexta-feira (24), no Rio.

Vaneza Leão, 31, foi morta com tiros de fuzil em frente de sua casa, em Santa Cruz, zona oeste da capital fluminense. O bairro é um dos principais redutos da organização criminosa liderada por Luís Antônio da Silva Braga, o Zinho, que firmou neste ano uma aliança com o CV (Comando Vermelho), intensificando uma disputa sangrenta do crime organizado.

Homens encapuzados fugiram em um carro preto, de acordo com o relato de testemunhas. Vaneza atuava na 8ª DMPJ (Delegacia de Polícia Judiciária Militar), unidade ligada à Corregedoria da PM especializada em investigações de milicianos e contraventores.

A PM do Rio de Janeiro emitiu uma nota de luto. Segundo a instituição, A cabo atuava como policial desde 2013.

Recompensa para ajuda nas investigações. O Disque-Denúncia oferece recompensa de R$ 5 mil por informações que ajudem a polícia a identificar e prender os suspeitos de terem cometido o crime. A Delegacia de Homicídios investiga o caso.

POLICIAIS MORTOS NO RIO

Desde o começo do ano, 52 agentes de segurança foram mortos no Rio. Desses, 46 são policiais militares. Os números são do Disque-Denúncia do estado.

A maior milícia do Rio, que atua na zona oeste da capital fluminense, está em uma guerra interna desde junho de 2021. No começo do ano, segundo a Polícia Civil, o grupo fez um acordo com o Comando Vermelho, o que levou o tráfico a se expandir para esta região da cidade.

Compartilhe:

Facebook
WhatsApp
LinkedIn
Twitter
Pinterest
Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.