Paquetá admite que se precipitou em pênalti e revela conversa no segundo

LAS VEGAS, EUA (UOL/FOLHAPRESS) – O meia Lucas Paquetá admitiu que se precipitou no primeiro pênalti cobrado na vitória por 4 a 1 sobre o Paraguai pela Copa América. Ele revelou a conversa com os companheiros para bater a segunda penalidade, que converteu.

Erro no primeiro. “Na primeira partida tive chances e não fiz o gol. Começo o segundo jogo perdendo o pênalti, acabei me precipitando na batida. Isso acaba ficando na cabeça. Mas continuei concentrado no jogo, pude dar a assistência e no final fui coroado com o gol.”

Decisão de bater de novo. “É treinamento. Na primeira batida acabei batendo diferente do que treino. No segundo, conversamos ali e na verdade quem iria bater era o Rodrygo e ele falou que eu poderia bater e eu bati sem nenhuma discussão nem nada. A gente se dá muito bem ali.”

Para o volante Bruno Guimarães, o pênalti perdido por Paquetá foi chave na partida pela forma como a seleção reagiu. No momento do gol, ele explicou o motivo de extravasar tanto.

Foi logo depois do pênalti perdido do Paquetá. Parecia que nosso momento não ia chegar nunca. Estávamos persistindo e nada do gol sair. Quando a gente fez o gol foi o momento de extravasar com todo mundo. Nunca vou desrespeitar nenhum torcedor, estamos aqui por eles, pelo nosso país. Intuito nosso é trazer o apoio pra gente, queríamos escutar eles gritando, sendo felizes com nosso gol. Foi o momento muito importante pra gente, de ‘ufa, saiu o primeiro, agora as coisas vão começar fluir’.

O camisa 5 da seleção na Copa América comentou a declaração de Dorival Jr afirmando que o Brasil pela primeira vez não chegou como favorito para o torneio de seleções. Bruno revelou que essa conversa já rondou o vestiário e cravou: tudo bem se favoritismo for de outros e o título ficar com o Brasil.

“Empate frustrante pra gente. Tentamos ao máximo. Foram 20 finalizações contra zero e a gente chegou no vestiário e se focou que teria coisa boa pra gente aí para frente. Ponto chave do jogo deste sábado (29) foi o pênalti perdido pelo Paquetá. Ninguém abaixou a cabeça, todo mundo foi dar força pra ele. No lance seguinte eu achei ele e ele deu assistência para o gol. Isso mostra a união do grupo. Dorival conversou isso com a gente, se eles ficarem com o favoritismo e a gente com o título é perfeito. Estamos no nosso momento com confiança renovada.”

Compartilhe: