Ouro olímpico no vôlei, Pampa morre aos 59 anos

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – O ex-jogador de vôlei André Felipe Felbo Ferreira, o Pampa, morreu nesta sexta-feira (7) aos 59 anos

A CBV notificou e lamentou a morte do campeão olímpico. Ele foi ouro em Barcelona-1992, primeiro título olímpico do vôlei brasileiro.

Pampa tratava um linfoma (câncer no sistema linfático). No final de abril, ele foi intubado para tratamento.

“Pampa era um jogador de extremo talento e fez parte da geração que levou o vôlei brasileiro pela primeira vez ao alto do pódio olímpico. Será para sempre referência. É um dia muito triste para todo o voleibol brasileiro. A CBV se solidariza com a família e os amigos deste grande jogador, que escreveu seu nome para sempre na história do esporte mundial”, afirma Radamés Lattari, presidente da CBV.

QUADRO DE SAÚDE

Ele descobriu um linfoma de Hodgkin e, em janeiro deste ano, iniciou tratamento. Eram previstas quatro sessões de quimioterapia. Dias após a quarta etapa, o ex-jogador apresentou febre e precisou de atendimento emergencial. No dia 13 de março, foi transferido para a UTI.

Pampa ficou mais de um mês internado em Campos dos Goytacazes, no Rio de Janeiro. O quadro piorou em decorrência de complicações pulmonares, que surgiram em meio à quimioterapia, e ele precisou ser intubado.

O campeão olímpico conseguiu a liberação do plano de saúde para ser transferido a São Paulo, onde teria acesso a melhores condições de tratamento. A locomoção precisou ser por via aérea. Ex-atletas de seleção participaram de uma espécie de “confraria”: a prioridade deles era conseguir a remoção de Pampa o mais rápido possível à capital paulista.

QUEM É PAMPA?

Pampa nasceu no Recife e optou por investir na carreira de jogador de vôlei após praticar vários esportes na juventude.

Ele começou sua trajetória profissional no Santa Cruz e passou por diferentes clubes do Brasil e da Europa, como Palmeiras, Suzano, Lazio e Napoli. O atleta também acumulou uma passagem pelo Japão.

Sua primeira Olimpíada representando a seleção foi a de 1988, como calouro da histórica “Geração de Prata”.

Nos Jogos de 1992, Pampa foi um dos destaques da equipe brasileira que conquistou o ouro em Barcelona e dividiu a quadra com nomes como Carlão, Tande, Marcelo Negrão e Maurício.

O jogador trocou o esporte pela política no início dos anos 2000, quando atuou dentro do Ministério do Esporte. Ele também trabalhou como secretário em cidades como Suzano e Campos dos Goytacazes.

POR QUE PAMPA?

“Quando comecei a jogar no Recife, eu tinha uma cortada tão forte que o pessoal começou a associar: ‘lá vem o coice do cavalo pampa’. Aí, ao invés de me chamarem de Cavalo Pampa, ficou só o Pampa”,

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.