É o lucro, imbecil - Vitória News /* */
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Opinião Pública
É o lucro, imbecil
Marcelo Rossoni
Uma regra básica de mercado é a agregação de valor aos produtos. Um bom exemplo é a soja. Se vendida após beneficiamento, por exemplo, transformada em óleo ou farelo, o lucro é maior do que exportada como simples commodity.
Não é preciso ler a obra completa de Paul Samuelson, que recebeu o Prêmio de Ciências Econômicas em Memória de Alfred Nobel em 1970, para entender essa mágica da economia.
Querer vender tudo para salvar a economia do país é o raciocínio de um primata. Por que vender as refinarias, se o lucro está na comercialização dos produtos refinados?
A Petrobras deu “uma volta” no parlamento brasileiro quando recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF) e conseguiu autorização para venda de subsidiárias de estatais sem aval do Legislativo.
O presidente da estatal, ao afirmar que "instituições fortes funcionam no Brasil", debocha de todos ao ignorar que o Congresso é uma instituição.
Se é forte ou fraco, é outra questão.
Na realidade, com a venda de refinarias, distribuidora de gás, e fábricas de fertilizantes, o governo ficará livre dos protestos dos consumidores quando os preços dos combustíveis e gás de cozinha forem reajustados abusivamente.
O presidente da Petrobras não é um capitão, que apenas retransmite ao tenente a ordem recebida de um major: estudou um pouco mais para falar tanta bobagem.
O portal de notícias www.vitorianews.com.br publica hoje a notícia com repercussão da fala do presidente da Petrobras, que fez pose de sábio ao afirmar que a empresa, após a venda das subsidiárias poderá focar no seu negócio principal, que é a extração de petróleo e gás, principalmente no pré-sal.