Nova nota de 10 mil pesos na Argentina é estampada por heroína negra

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS) – A Argentina, país onde os debates sobre racismo ainda são comedidos, ganhou nesta terça-feira (7) uma nova nota com estampa de uma heroína negra pouco reconhecida: María Remedios del Valle, nascida por volta de 1766 e morta em 1847.

A apelidada “mãe da pátria” aparece na nota de 10 mil pesos (em torno de R$ 55), que entrou em circulação nesta terça e tem valor cinco vezes maior que a nota anterior, de 2.000 pesos, lançada em maio de 2023 em resposta à alta inflação no país. No fim deste ano, a nota de 20 mil pesos também deve começar a circular.

María Remedios del Valle aparece ao lado do superconhecido Manuel Belgrano, nome de diversas vias públicas e um dos principais artífices da Revolução de Maio, que pavimentou a independência da Argentina, proclamada em 1816.

Segundo a historiografia, ela foi uma das poucas mulheres que lutou nas guerras de independência. Negra, descendente de pessoas africanas, participou de expedições de tomada de território junto ao marido e aos filhos. María acompanhava as tropas alimentando os soldados, cuidando dos feridos e, eventualmente, lutando lado a lado.

Por sua atuação, ela chegou a ser nomeada capitã pelo próprio Belgrano, que aparece ao seu lado na nota de 10 mil pesos.

Desde 2013, na data de seu falecimento, 8 de novembro, a Argentina celebra o Dia Nacional dos Afrodescendentes e da Cultura Afro, como forma de honrar sua história e revisitar os marcos do racismo.

A representação de María Remedios del Valle na nova nota emitida pelo banco central argentino pertence à obra La Capitana (a capitã), da artista argentina Gisela Banzer.

A Argentina atravessa uma grave crise econômica que une a restrição ao crédito externo, uma alta inflação que desvaloriza a moeda e um índice de pobreza que chega a 42% da população, segundo dados oficiais, ou 57%, segundo a Universidade Católica, que calcula o dado.

O governo de Javier Milei tem logrado, com suas medidas econômicas ultraortodoxas, diminuir a inflação mensal. Em março, pelo terceiro mês consecutivo, a inflação mensal no país desacelerou, ainda que o acumulado dos últimos 12 meses esteja em 287,9%. Daqui a uma semana, no próximo dia 14, serão divulgados os dados da inflação de abril, e o governo espera que o índice esteja em apenas um dígito.

No último trimestre deste 2024 entrará em circulação uma nota de 20 mil pesos, estampada com Juan Bautista Alberdi, considerado o autor intelectual da Constituição argentina.

No ano passado, o antecessor de Milei, o peronista Alberto Fernández, duplicou o valor da maior cédula em circulação (então de 1.000 pesos) para criar uma de 2.000. A emissão de novas cédulas invariavelmente ocorre na Argentina. O país já chegou a ter uma nota de 1 milhão de pesos na década de 1980, durante a última ditadura militar no país, durante um contexto também de hiperinflação, como o atual.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.