Nação Zumbi espanta frio do público no Doce Maravilha, no Rio

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Em apresentação potente neste domingo (26) no Doce Maravilha, Rio de Janeiro, Nação Zumbi passou por suas canções mais atuais e pelo disco “Da Lama ao Caos”, que, neste ano, completa três décadas de história.

O grupo ainda recebeu Lia de Itamaracá, que promoveu grandes rodas de ciranda.

“Esse ano completam 30 anos da nossa primeira pedra lançada”, revela Jorge Du Peixe em referência ao primeiro disco do Nação Zumbi. O vocalista deixou avisado que o grupo deve rodar o país com essa turnê em breve.

Ao receber Lia de Itamaracá, Du Peixe lembrou dos pilares do manifesto manguebeat: “Maracatu é resistência, coco é resistencia, samba é resistência. E, neste domingo (26), temos a honra de receber uma rainha da ciranda, da resistência, da força”.

Lia de Itamaracá, que recentemente completou 80 anos, também cantou alguns de seus sucessos, como “Meu São Jorge” e “Janaína”. A artista promoveu grandes rodas de ciranda ao lembrar o repertório de Selma do Coco, com “Dá-lhe Manoel” e “Ô moreninha do dente de ouro”.

No auge do show, Jorge Du Peixe brinca: “Legal? Legal devia ser maconha”.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.