Luiz Henrique diz se fica no Botafogo e se esquiva de polêmicas de Textor

RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Luiz Henrique chegou ao Botafogo como a contratação mais cara do futebol brasileiro na história. Na disputa pela contratação, um “clássico carioca” em que o Alvinegro levou a melhor sobre Flamengo e Fluminense.

Há uma cláusula no contrato do jogador com o Botafogo que permite que ele vá para o Lyon a qualquer momento. O clube francês também pertence a John Textor. Ele tem como um dos objetivos, além de completar o ano no Rio de Janeiro, também voltar para a Europa. Agora, porém, garantiu não pensar nisso.

“Quero agradecer ao Fernando Diniz, que fez de tudo para me levar ao Fluminense, Mas estou feliz no Botafogo, tenho minha família perto, todos me ajudando. Meu objetivo é o Botafogo, estou focado. Quero ajudar a colocar o Botafogo lá em cima”, disse o jogador.

O Flamengo tentava o empréstimo com opção de compra e mandou à Espanha os dirigentes para sentarem com o Betis. o vice Marcos Braz e o diretor Bruno Spindel também foram até a casa do jogador apresentar o projeto e até Tite entrou na jogada. No Fluminense, Fernando Diniz pediu ao presidente Mário Bittencourt que fizesse todo o possível para repatriar o jogador ao clube que o formou. Nada deu certo. Com o poderio financeiro da SAF, o Botafogo levou a melhor.

Luiz Henrique participou do evento de lançamento da F50, nova chuteira da Adidas, sua patrocinadora pessoal. O atacante ficou cerca de 1h30 tirando fotos e assinando camisas de torcedores do Botafogo em um shopping na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

SEM DEIXAR O EXTRACAMPO AFETAR

O Botafogo vai encarar o Palmeiras nas oitavas de final da Libertadores. Além do confronto complicado dentro de campo, os clubes vivem certa rivalidade. John Textor, dono da SAF alvinegra, afirmou repetidamente que o Alviverde foi beneficiado por manipulação de resultados no Brasileirão de 2023. Leila Pereira, presidente do clube paulista, foi a público falar em “histeria” do norte-americano.

“A gente procura não ver essas coisas, deixamos para eles, que são presidentes, brigarem. Estamos focados nos nossos jogos e treinos. Vamos apoiar o dono da SAF, mas não procuramos estar em briga. Deixamos para eles e eles que se resolvem”, diz.

Os jogos são somente em agosto. No dia 14, o Botafogo abre o mata-mata em casa. Já a volta será na semana seguinte, dia 21, no Allianz Parque. “Ainda não estamos focados no Palmeiras, mas sabemos que será um jogo complicado e difícil. Daremos o nosso máximo para conseguir essa vitória”, afirmou.

O JEITO ARTHUR JORGE

Depois de um ano complicado em 2023, o Botafogo voltou a sonhar alto com a chegada de Arthur Jorge. Com um estilo mais “paizão”, mas sem deixar de lado as cobranças, ele ganhou a confiança do elenco. Luiz, entretanto, afirmou que nada mudou do último ano para esse.

“Não mudou nada. Estamos trabalhando como sempre fizemos. Desde o ano passado, os caras trabalharam, mereceram ganhar coisas. Esse ano o Arthur Jorge veio para agregar e nos ajudar. É uma pessoa incrível, nos ajuda a cada treino e jogo. Mas não mudou nada do ano passado para cá. Ele é um cara sério, tem convicção das coisas dele. No dia a dia é um paizão para nós.”

O Botafogo pode encostar na liderança do Brasileiro neste sábado. O Alvinegro vai a São Januário enfrentar o Vasco pela 13ª rodada do Brasileiro, às 18h30 (de Brasília).

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.