Justiça bloqueia bens de Alberto Fernández, acusado de desvio de verbas

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – A Justiça argentina determinou o bloqueio de bens e a quebra do sigilo fiscal e bancário do ex-presidente Alberto Fernández.

Fernández é acusado de desvio de verba pública. Segundo a investigação, ele faz parte de uma organização criminosa que desviou dinheiro por meio da contratação irregular de seguros para empregados públicos. As informações são do jornal Clarín.

Um decreto assinado por Fernández levantou suspeitas. Em 2021, o então presidente determinou que o Estado só poderia contratar a empresa Nácion Seguros. A seguradora é ligada ao marido de María Cantero, então secretária particular de Fernández.

Além de Fernández, outras 32 pessoas são investigadas. Entre elas, María Cantero e seu marido Héctor Martínez Sosa, além de empresas e cooperativas.

No final de fevereiro, o ex-presidente disse concordar com a investigação para provar sua inocência. “Não roubei nada nem participei de nenhum esquema, tampouco autorizei um”, afirmou ele à rádio La Red. “Estão atingindo pessoas de bem”.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.