Jogo da seleção de Israel tem início adiado por protesto pró-Palestina

SÃO PAULO, SP (UOL/FOLHAPRESS) – A partida entre Escócia e Israel, pelas Eliminatórias para a Eurocopa feminina, teve seu início adiado por 30 minutos.

Um protestante invadiu o gramado do Hampden Park e se acorrentou à trave. O homem utilizava camiseta com a frase “cartão vermelho para Israel”.

O protestante foi retirado por policiais e escoltado para fora do estádio. O fato ocorreu antes do procedimento de tocar os hinos nacionais. Ainda não se sabe como o homem obteve acesso ao gramado.

A partida em Glasgow, Escócia, ocorre com portões fechados. A decisão foi tomada pela federação escocesa de futebol após ser alertada para “potenciais interrupções planejadas” no jogo.

Um ato pró-Palestina acontece simultaneamente à partida nos arredores do Hampden Park. Protestantes carregam faixas e cartazes contra o “genocídio” por parte do Estado israelense e pela liberdade do povo palestino. Segundo o jornal britânico The Guardian, cerca de 400 pessoas estão presentes.

A partida começou após meia hora de atraso. As atletas precisaram fazer novo trabalho de aquecimento depois da interrupção. O jogo está no intervalo no momento de publicação desta matéria, e as escocesas vão vencendo Israel por 3 a 0.

A seleção israelense usou o confronto esportivo como plataforma para divulgar mensagem. As jogadoras posaram antes da partida com a camiseta “Traga-os para casa!”, com a foto de Naama Levy, refém do Hamas.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.