Governo quer usar PF para investigar e responsabilizar quem divulga fake news sobre tragédia no RS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O governo do presidente Lula (PT) pretende usar a Polícia Federal para investigar e responsabilizar quem divulga notícias falsas relacionadas com a tragédia climática no Rio Grande do Sul.

A informação foi divulgada pelo ministro da Casa Civil, Rui Costa, durante reunião com outros ministros na sala de risco montada para coordenar as ações.

O áudio da abertura da reunião foi divulgado pela Secom (Secretaria de Comunicação Social da Presidência). Em uma parte vazada do áudio, o ministro da Secom, Paulo Pimenta, conversa com uma pessoa e fala que é preciso “botar para fuder com os caras” que divulgam notícias falsas.

Ministros do governo Lula realizaram nesta terça-feira (7) a quinta reunião da sala de situação, montada para coordenar ações relacionadas às enchentes no estado.

Durante sua fala, Rui Costa reclamou das fake news e afirmou que o governo vai acionar Polícia Federal, Ministério da Justiça e AGU (Advocacia-Geral da União) para investigar e responsabilizar propagadores de notícias falsas.

“Foi dado o depoimento de um general muito preocupado, que está atrapalhando muito o trabalho operacional a quantidade de fake news e mentiras que estão sendo divulgadas”, afirmou Rui Costa.

“Então eu pedi que o ministro [da Justiça, Ricardo] Lewandowski desse uma entrevista aos veículos da imprensa anunciando que vai pedir à Polícia Federal que abra procedimento e que AGU, junto ao Ministério da Justiça, irá acionar os órgãos competentes para consequente ação judicial e de responsabilização dessas pessoas, porque se trata de um crime absurdo, não apenas moral, de reputação, mas porque estamos falando de vidas humanas”, completou.

Ao mesmo tempo em que Rui Costa discursava, o ministro Paulo Pimenta conversava com um interlocutor, e foi esse trecho do diálogo que vazou no áudio divulgado pela Secom.

Pimenta diz: “Tem uma coisa importante para ti no início da reunião. Botar pra fuder com eles”. O interlocutor responde: “Prender”. E Pimenta acrescenta: “Mandar prender. Não aguento mais fake news”.

Na sequência do áudio, em um trecho em que grande parte é inaudível, o interlocutor de Pimenta cita a palavra “bolsonaristas” de maneira mais clara.

Procurado, o ministro Paulo Pimenta afirmou que sua fala representa uma indignação contra uma “indústria de fake news”, que é “alimentada de forma organizada por influenciadores da extrema-direita e parlamentares”.

“Se estamos em uma ‘guerra’ para salvar vidas, quem age como traidor tem que ser tratado como traidor, pois prejudica o trabalhado de resgate e salvamento. As Forças Armadas e as equipes de resgate da Defesa Civil estão exausta de tanta fake news”, disse.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.