Governo Lula deve editar medida provisória para liberar dinheiro ao RS

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O governo Lula (PT) deve publicar nos próximos dias uma Medida Provisória para viabilizar o envio de recursos ao Rio Grande do Sul, que vive uma tragédia ambiental e já contabiliza ao menos 37 mortes.

O ministro da Secretaria de Comunicação, Paulo Pimenta, afirmou que o Executivo federal ainda não consegue calcular quanto custará a reconstrução das cidades atingidas.

“O levantamento dos valores se dará a partir do plano de trabalho apresentado por cada município e pelo estado mediante homologação das defesas civis. Não é governo federal que estabelece o valor. O valor vem dos planos que são apresentados”, afirmou.

E prosseguiu: “Vai ter crédito emergencial através de medida provisória para essas primeiras ações. Mas como disse é absolutamente impossível que alguém possa dizer quanto é quantia de recurso necessário para que nós possamos apoiar o estado tanto no trabalho de reconstrução como no trabalho de retomada da atividade econômica”.

Pimenta afirmou que o governo trabalha agora para resgatar vítimas, restabelecer a normalidade nos municípios atingidos e amparar as pessoas desabrigadas.

A declaração foi feita na entrevista coletiva na qual foi anunciado o adiamento do Concurso Público Nacional Unificado. As provas seriam realizadas no próximo domingo (5) e ainda não têm nova data para serem aplicadas.

O ministro afirmou que o Palácio do Planalto monitora a situação e que ele mesmo deve ir ao Rio Grande do Sul no sábado (4) para instalar um escritório do governo federal no estado para acompanhar as medidas de restauração dos municípios. Pimenta é gaúcho.

“Está chovendo ainda, portanto é impossível que qualquer pessoa saiba qual é o estrago que vamos ter. Até ontem, por exemplo, tínhamos informação de que já tinham 100 unidades de saúde atingidas, mas não tem como ter previsão enquanto não tivermos o processo ao menos estancado”, disse.

Ele reafirmou a promessa de Lula de que não haverá um limite de recurso definido para a reconstrução da cidade. “Vamos disponibilizar o recurso necessário para que, nas questões de responsabilidade do governo federal, todos os pleitos de reconstrução sejam atendidos”, afirmou.

Até o momento, foram registradas 37 mortes em decorrência das fortes chuvas que atingem o estado desde o fim da semana. A informação é da Defesa Civil do estado na manhã desta sexta-feira (3). Há um total de 74 pessoas desaparecidas.

De acordo com a Defesa Civil estadual, 235 municípios foram afetados pela chuva. Há 7.949 pessoas em abrigos e outras 23.598 estão desalojadas. No total, são 351.639 afetados e 74 feridos nesta manhã.

Durante a madrugada desta sexta-feira, o lago Guaíba, em Porto Alegre, atingiu o maior nível desde 1941. O rio chegou a 4,23 metros no cais Mauá. O nível de alerta para a região do centro histórico é de 2,5 metros, sendo 3 metros para inundação.

Entre as consequências da cheia está o fechamento da base da Guarda Municipal na orla do Guaíba. A área será patrulhada preventivamente até a normalização.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.