Gostar de Madonna é um ato politico, dizem fãs em rodoviária e aeroporto no Rio

RIO DE JANEIRO, RJ (FOLHAPRESS) – Fãs da cantora Madonna já desembarcam em peso na cidade do Rio de Janeiro. Além do movimento nos principais aeroportos da cidade, a Rodoviária do Rio registra movimento 30% maior do que o habitual para uma sexta-feira.

Entre os turistas que chegaram de todos os lugares do Brasil um grupo diverso foi se formando. Mães que trouxeram suas filhas para ver a cantora pela primeira vez, amigas que tiveram a juventude embalada pelos seus hits, filhos mais jovens que apresentaram a estrela pop às suas mães e até fãs de países vizinhos, como Paraguai, que percorreram mais de 1.700 km de ônibus.

Em comum, além de ansiosos para ver a performance de Madonna nos palcos, os fãs dizem que admirar a cantora é um ato político acima de tudo.

É o caso do grupo de amigas formado pelas irmãs Dayse Celeste Sergio, 50, e Claudia Sueli Sergio, 53, Cassia Barberan, 51, e Katia Barberan, que chegaram uniformizadas ao Rio após mais de sete horas de viagem partindo da rodoviária do Tietê, em São Paulo.

As irmãs mais velhas influenciaram as mais novas, que por sua vez passaram a paixão por Madonna para a filha de Cassia, Natacha Dalessio, advogada de 29 anos. As veteranas estiveram em todos os shows da cantora no Brasil.

“Acho importante dizer que gostar dela é um ato político. Empoderou muitas mulheres, tratando de assuntos muito importantes para a gente. Vamos encerrar a carreira com ela. Não importa se vai ser perrengue”, disse Cassia Barberan.

“Cresci ouvindo Madonna, sobre como ela é esse ícone político, e nunca tinha tido a oportunidade de ver a cantora de perto. Por isso, assim que sugiram os rumores de que ela viria para o Rio, já reservamos hotel e conseguimos um bom preço. Viemos de ônibus e foi bem tranquilo. Nos planejamos para isso”, acrescentou Natacha.

Na tarde desta sexta, a Rodoviária do Rio já registrava aumento significativo no fluxo de ônibus vindos do interior do estado e de São Paulo e Minas Gerais. O pico do movimento, contudo, deve ser na madrugada e manhã de sábado (4). Os turistas que chegarem por lá serão recebidos por uma cover de Madonna que promete animar o setor de desembarque.

O panorama é o mesmo nos aeroportos Santos Dumont e Galeão, com auge do fluxo de passageiros aguardado para a manhã sábado. Mais de 10 mil pessoas devem desembarcar no Galeão, segundo previsão da concessionária que administra o aeroporto.

O galerista Matheus Hollander, 29, preferiu se adiantar e chegou no final da tarde de sexta-feira com a mãe, Monica. Foi ele quem fez a mãe gostar da cantora.

“Madonna é um ícone da arte. Já vi outros shows dela, mas acho que esse vai ter mais a cara do Brasil”, disse o fã, que não economizou elogios nem investimento para estar no Rio.

Compartilhe:

Últimas Notícias
Editorias

Assine nossa Newsletter

Purus ut praesent facilisi dictumst sollicitudin cubilia ridiculus.