1º Ministro indiano diz que Índia é autossuficiente em vacinas contra covid-19 - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
1º Ministro indiano diz que Índia é autossuficiente em vacinas contra covid-19
Publicado por Redação VitóriaNews
Valter Campanato/ABr

O primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, disse hoje (22) que a Índia é completamente autossuficiente na fabricação de vacinas contra o novo coronavírus. Segundo ele, o segundo país mais populoso do mundo já inoculou mais de 1 milhão de pessoas, uma semana depois de iniciar a campanha de imunização.

No sábado (16), a Índia iniciou o que o governo classifica como o maior programa mundial de vacinação, usando dois imunizantes fabricados localmente: um desenvolvido pela Universidade de Oxford e a AstraZeneca e outro desenvolvido pela indiana Bharat Biotech, em parceria com o Conselho Indiano de Pesquisa Médica.

"Nossa preparação foi tal que a vacina está chegando rapidamente a todos os cantos do país", disse Modi enquanto interagia com profissionais de saúde de Varanasi, seu distrito eleitoral, durante  videoconferência.

"E naquela que é a maior necessidade do mundo hoje, somos completamente autossuficientes. Não somente isso, a Índia também está ajudando muitos países com vacinas".

Conhecida como a capital farmacêutica do mundo, distribuiu vacinas a vizinhos e parceiros, como Bangladesh, Nepal, Butão, Ilhas Seychelles, Maurício e Maldivas, e enviou remessas comerciais ao Brasil e ao Marrocos nessa sexta-feira.

A iniciativa de vacinação do próprio país asiático começou com 30 milhões de profissionais de saúde e outros trabalhadores da linha de frente, os primeiros da fila, seguidos por cerca de 270 milhões de pessoas de mais de 50 anos ou consideradas de alto risco devido a problemas médicos preexistentes.

Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.
Notícias Relacionadas