Irã prevê 'futuro perigoso' para Emirados Árabes, após acordo com Israel - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Irã prevê 'futuro perigoso' para Emirados Árabes, após acordo com Israel
Publicado por Estadão Conteúdo

A poderosa Guarda Revolucionária do Irã afirmou neste sábado que pode haver consequências perigosas para os Emirados Árabes, após este país anunciar um acordo histórico com Israel para estabelecer relações diplomáticas. Os Emirados Árabes foram o primeiro país do Golfo a fazer isso e apenas a terceira nação árabe a normalizar relações com Israel, inimigo regional do Irã.

A Guarda Revolucionária qualificou o acordo como "vergonhoso" e uma "ação maligna" apoiada pelos Estados Unidos, segundo comunicado do grupo. Ela advertiu que, com o pacto, aumentará a influência americana no Oriente Médio, o que levará a um "futuro perigoso" para o governo dos Emirados Árabes.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, também condenou a notícia. Em discurso televisionado neste sábado, ele advertiu os Emirados Árabes de que cometeram um "grande erro".

O presidente americano, Donald Trump, celebrou o acordo, como parte de uma iniciativa para paralisar a anexação de terras ocupadas dos palestinos. Os Emirados Árabes qualificaram a decisão como meio de encorajar os esforços de paz e impedir a anexação de partes da Cisjordânia por Israel. Já o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, disse que a pausa na anexação era apenas "temporária". Fonte: Associated Press.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.