Pompeo pressiona ONU a estender embargo de armas contra Irã e menciona Venezuela - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Pompeo pressiona ONU a estender embargo de armas contra Irã e menciona Venezuela
Publicado por Estadão Conteúdo

Secretário de Estado americano, Mike Pompeo se pronunciou nesta terça-feira, 30, durante reunião virtual do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas. Em sua fala, Pompeo pressionou os demais países do grupo a apoiarem a prorrogação de um embargo na negociação de armas contra o Irã, argumentando que isso é crucial para a segurança regional e também de outros países, como a Venezuela.

Pompeo defendeu a estratégia do governo do presidente Donald Trump de abandonar o acordo nuclear multilateral com o Irã, argumentando que Teerã já descumpria a iniciativa. "O acordo nuclear com o Irã fracassou", disse ele.

Além disso, a autoridade dos EUA disse que o Irã já viola um embargo de armas em vigor. Esse embargo vence em alguns meses e caberá aos integrantes do Conselho de Segurança da ONU decidir se o prorrogam ou não.

Pompeo argumentou que é crucial estender a restrição, comentando que os países da região também desejam isso. Caso contrário, Teerã poderá enviar armas a países como a Síria ou a Venezuela, alertou. "Nossa preocupação com Irã é questão de segurança nacional, não de política."

Ele ainda disse que os EUA ofereceram ajuda ao Irã na pandemia da covid-19, mas o governo iraniano teria se recusado a aceitá-la.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.