Trump volta a criticar Twitter e pede revogação de imunidade a redes sociais - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Trump volta a criticar Twitter e pede revogação de imunidade a redes sociais
Publicado por Estadão Conteúdo

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar o Twitter na própria rede social na manhã desta sexta-feira, 29, e disse que o Congresso americano deveria revogar a seção 230 da Lei de Comunicações dos Estados Unidos, que garante proteção ao setor.

"O Twitter não está fazendo nada sobre todas as mentiras e propaganda divulgadas pela China ou pelo Partido Democrata", publicou Trump. "Eles têm como alvo republicanos, conservadores e o presidente dos Estados Unidos. A seção 230 deve ser revogada pelo Congresso. Até lá, será regulamentada!", completou.

Trump elevou o tom contra o Twitter nesta semana após a rede social impor selo de "conteúdo potencialmente falso" a algumas de suas postagens. Em resposta, o republicano assinou ontem decreto que pede modificações na seção 230, dizendo que a "imunidade" conferida pela lei às redes sociais precisa ser "esclarecida" - ou seja, regulamentada.

Nesta sexta-feira, o embate entre Trump e o Twitter ganhou novo capítulo após a plataforma colocar um alerta em postagem do líder da Casa Branca por "exaltação de violência". O tuíte se referia a protestos ocorridos em Minneapolis, no Estado americano de Minnesota, e só poderia ser visto após o usuário clicar em um botão de consentimento sobre o teor da mensagem.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.