Rio tem reocupação de ruas, aponta pesquisa - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Rio tem reocupação de ruas, aponta pesquisa
Publicado por Estadão Conteúdo

Os bairros do Rio que registram o maior número de casos do novo coronavírus passaram a ter as ruas mais movimentadas nesta semana. Em comparação com a média histórica, a semana passada havia registrado uma queda de 85% na circulação; nesta semana, a variação foi menor: 80%.

O levantamento é realizado pela empresa CyberLabs, que recorre a imagens de câmeras de monitoramento. Os bairros analisados são Barra da Tijuca, na zona oeste; Leblon, Ipanema, Copacabana e Botafogo, na sul; e Tijuca, na norte, além do Centro. Os casos de "reocupação" das ruas mais gritantes são os de Leblon e Ipanema.

Na orla, o policiamento reforçado monitora quem tenta descer para a areia. Os policiais pedem que as pessoas voltem para casa. Esta foi a primeira semana cheia após o presidente Jair Bolsonaro começar a defender a reabertura do comércio e a retomada de outras atividades.

A presença de policiais não inibiu um grupo de jovens que mergulhava na Baía de Guanabara, na tarde de ontem, perto do Museu do Amanhã, na Praça Mauá. L., de 16 anos, e seus amigos moram ali perto, na comunidade Pedra do Sal. Apesar de preocupados com a doença, não viram problema em aproveitar o tempo aberto.

Transporte

Segundo o governo do Estado, o metrô registrou queda de 80% na circulação, em comparação com a média pré-pandemia. As barcas que ligam o Rio a Niterói, 73%; e os trens da SuperVia, que conectam o Centro às zonas mais pobres da cidade e à Baixada, 70%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
X
Olá! Faça seu cadastro no VitóriaNews.
{{app_feedback}}
{{getTitulo}}
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Comentando como
{{dados_login.nome}}
Sair
{{app_feedback_comment}}
{{comentario.nome}}
{{comentario.comentario}}