Secretário-executivo da Saúde recomenda que pessoas caminhem em parques - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Secretário-executivo da Saúde recomenda que pessoas caminhem em parques
Publicado por Estadão Conteúdo

Mesmo sabendo que as maiores capitais do País fecharam seus parques públicos para evitar aglomerações, como São Paulo, Rio de Janeiro e Brasília, o Ministério da Saúde declarou nesta quinta-feira, 26, que não vê nenhum problema em liberar o acesso desses espaços para as pessoas.

"Não é recomendação do Ministério da Saúde que pessoas não possam andar no parque. Por que as pessoas ficarão socadas no apartamento, se podem caminhar no parque?", disse o secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo dos Reis, ao comentar o avanço da covid-19 no Brasil.

"Não vemos nenhum sentido na proibição de que as pessoas não possam andar na quadra, no parque. Isso vai fazer bem para as pessoas. É importante fazer uma caminhada de 30 minutos. Vai fazer bem para a pessoa, seu estado físico e seu emocional. Só evitem situações de aglomeração", comentou Gabbardo. "As pessoas podem ir rezar, mas não devem participar de cultos. Essas são as orientações que o Ministério da Saúde dá."

O secretário só não deixou claro, afinal, qual seria o seu conceito de "aglomeração", dado que hoje a orientação técnica é de que as pessoas permaneçam a uma distância de ao menos dois metros de outra pessoa.

Ontem, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta voltou a dizer que as quarentenas definidas pelos Estados têm sido muito radicais e defendeu a flexibilização das decisões e o retorno de parte das atividades econômicas. Essa decisão, porém, até o momento, cabe ao gestor estadual.

"Nós não vamos dizer aqui que não se cumpram o que é feito no Estado", comentou João Gabbardo dos Reis. "Mas temos as nossas recomendações."

Igrejas

Gabardo também voltou a defender a abertura das igrejas, mas sem a realização de cultos e missas.

"Nós não recomendamos o fechamento das igrejas, o que nós recomendamos sim é que não se faça aglomeração. Recomendamos que padres e pastores realizem (celebrações) de preferência usando as redes sociais, usando a internet, sem a presença física", disse.
X
Olá! Faça seu cadastro no VitóriaNews.
{{app_feedback}}
{{getTitulo}}
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Comentando como
{{dados_login.nome}}
Sair
{{app_feedback_comment}}
{{comentario.nome}}
{{comentario.comentario}}