Tendências: câmbio depreciado não basta para a balança - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Tendências: câmbio depreciado não basta para a balança
Publicado por Estadão Conteúdo

As exportações têm sido o principal ponto de pressão sobre o resultado da balança comercial, avaliou o economista da Tendências Consultoria Integrada, Felipe Salto. Para ele, a depreciação do real não tem gerado os resultados esperados sobre as vendas para o exterior, e isso se deve aos desarranjos observados na política econômica doméstica.

Em outubro, a balança comercial brasileira registrou um déficit de US$ 1,177 bilhão, resultado negativo superior ao de setembro, quando o déficit foi de US$ 939 milhões. As exportações de outubro somaram US$ 18,330 bilhões, queda de 19,7% na comparação anual e de 10,6% na margem. A comparação é feita pela média por dias úteis, sendo que o mês passado teve um dia útil a mais que em setembro. As importações apresentaram uma retração menor, de 15,4% na comparação com outubro de 2013 e de 9,2% ante setembro. "Quando a economia está mais enfraquecida, a tendência é que haja mesmo um enfraquecimento das importações", explicou Salto.

O economista da Tendências afirmou que as exportações estão sofrendo por conta de fatores externos e internos: no lado externo, o ambiente econômico desfavorável dos parceiros comerciais do Brasil e as incertezas sobre quando o governo norte-americano voltará a subir os juros são duas explicações para uma demanda mais fraca. No âmbito interno, Salto avaliou que as vendas para o exterior são prejudicadas por uma política fiscal desajustada e pelo ambiente de negócios desfavorável ao investimento. "O câmbio depreciado, sozinho, não basta", avaliou.

A projeção da Tendências para o resultado da balança comercial deste ano é de uma recuperação nesses meses finais do ano, assim como ocorreu no ano passado. A Tendências estima um superávit de US$ 2 bilhões, revertendo o déficit de US$ 1,87 bilhão acumulado no ano até outubro. A chance de a conta fechar no negativo, no entanto, "não é desprezível", ponderou Salto. O economista ainda destacou que uma recuperação mais consistente dos números somente virá com uma melhora das políticas econômicas domésticas.
X
Olá! Faça seu cadastro no VitóriaNews.
{{app_feedback}}
{{getTitulo}}
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Comentando como
{{dados_login.nome}}
Sair
{{app_feedback_comment}}
{{comentario.nome}}
{{comentario.comentario}}