sexta-feira, 12 agosto, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Mesquita e sinagoga são atacadas elevando a tensão entre Israel e palestinos

JERUSALÉM – Uma mesquita perto da cidade de Ramallah, na Cisjordânia, foi incendiada na manhã desta quarta-feira, num ato que teria sido provocado por colonos israelenses, segundo fontes de segurança palestinas. Em outro episódio de violência que pode acirrar ainda mais os ânimos na região, uma antiga sinagoga no Norte de Israel foi atacada com uma bomba incendiária. Ninguém ficou ferido em ambos os incidentes.

– Alguns colonos incendiaram todo o primeiro andar da mesquita, na localidade de Mughayer, perto da colônia israelense de Shilo e de uma estrada reservada ao uso de colonos – declarou uma fonte.

Testemunhas disseram à agência de notícias palestina Ma’an que quando os fiéis chegaram à mesquita, na aldeia de Mughayer, para as orações da manhã, viram o local sob chamas e foram capazes de apagar o fogo. O segundo andar da mesquita sofreu grandes danos, e havia pichações antipalestinas.

O prefeito Faraj al-Naasan disse que não tinha dúvidas de que colonos judeus foram responsáveis, citando um ataque de colonos anterior contra outra mesquita na aldeia há dois anos e os ataques de colonos frequentes contra veículos e olivais da localidade.

– Só os colonos judeus fariam isso – afirmou al-Naasan.

Há vários anos, colonos extremistas e ativistas de extrema-direita se vingam dos palestinos com agressões e atos de vandalismo. Eles costumam escrever em algum lugar a frase “o preço a pagar”.

Também nesta quarta-feira, uma bomba incendiária foi jogada na antiga sinagoga em Shfaram, uma comunidade árabe no Norte de Israel. Enquanto a polícia informou que a construção sofreu danos, um morador disse ao jornal “Haaertz”, no entanto, que a bomba incendiária explodiu do lado de fora da sinagoga, e nenhum dano foi feito ao edifício.

O conselho da cidade Shfaram condenou o incidente, observando que há poucos meses um grupo de jovens da cidade árabe decidiu se juntar a jovens judeus para reformar a antiga sinagoga, como parte de uma tentativa de combater crimes de ódio.

Os incidentes ocorrem em meio a uma onda de violência na região. Na terça-feira, soldados israelenses mataram um palestino em confrontos noSsul da Cisjordânia, em um momento de tensão que provoca o temor de uma nova intifada. E Na segunda-feira, uma moradora e um soldado israelense morreram em ataques com facas, cometidos por palestinos, na Cisjordânia e em Tel Aviv.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas