sexta-feira, 12 agosto, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Emprego na indústria recua 0,7% em setembro, sexta queda consecutiva

RIO – O emprego na indústria recuou 0,7% em setembro, frente agosto, informou o IBGE nesta quarta-feira. Foi o sexto resultado negativo consecutivo. Na comparação com setembro do ano passado, houve queda de 3,9%, a 36º seguida. Em agosto, o indicador havia recuado 0,4%.

O IBGE apurou ainda que o índice teve retração de 1,8% no terceiro trimestre, na comparação com os três meses anteriores. Foi a sétima taxa negativa seguida nesse tipo de cálculo. No acumulado do ano e em 12 meses, os números também são negativos: 2,8% e 2,6%, respectivamente.

Além da queda da taxa de ocupação, a pesquisa mostrou que a folha de pagamento real dos trabalhadores (descontando a inflação) recuou 1,3% em setembro, frente a agosto. O resultado elimina a alta de 0,5% que havia sido registrada no mês anterior. Segundo o IBGE, a queda foi influenciada pelo desempenho da indústria de transformação, onde a folha salarial caiu 1,5%. Em compensação, houve alta de 3,2% no setor extrativo.

Na comparação trimestral, a queda na folha de pagamento foi de 3,9%, intensificando o ritmo de queda registrado no resultado do segundo trimestre do ano (-0,2%).

PRODUÇÃO INDUSTRIAL RECUOU EM SETEMBRO

Os dados de emprego são divulgados uma semana após o instituto revelar que a produção industrial recuou 0,2%, interrompendo sequência de duas altas. No ano, o setor acumula queda de 2,9%, influenciada principalmente pelo fraco desempenho do setor automotivo.

No mais recente relatório Focus, divulgado semanalmente pelo Banco Central, economistas do mercado financeiro reduziram ainda mais as projeções para a produção industrial, que passaram a indicar queda de 2,21%. Há um mês, a expectativa era de recuo de 2,16%.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas