Atriz Geraldine Chaplin fala de 'Dólares de Areia' - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Atriz Geraldine Chaplin fala de 'Dólares de Areia'
Publicado por Estadão Conteúdo

Desde que foi homenageada no Festival Internacional de Brasília, em setembro, Geraldine Chaplin já deu quase a volta ao mundo. Da capital federal foi para a Suíça, Espanha, Canadá. No Festival de Toronto, mostrou seu novo filme, Dólares de Areia, que encerra nesta quarta-feira, 29, à noite a 38.ª Mostra. Geraldine faz uma velha lésbica que se envolve com uma garota. O amante da jovem urde um plano para que a idosa a leve - os leve - à Europa. O filme foi realizado pela dupla Laura Guzmán/Israel Cardenas. Casados, eles filmaram na República Dominicana, onde nasceram. Dólares de Areia baseia-se num livro. No original, é um velho. Laura e o marido não trocaram apenas o sexo dos protagonistas, mas também o ponto de vista. O livro constrói-se do ponto de vista do europeu. O filme privilegia a jovem dominicana.

"É meu melhor papel", sentencia Geraldine. "Me agrada muito que o filme não faça nenhum julgamento moral. Isso é mérito dos diretores. Minha personagem é como um animal moribundo. Tem consciência, mas vive com intensidade o que lhe ocorre.
Talvez esteja se enganando. Os dólares de areia são uma metáfora, mas não a de querer comprar o amor. Minha personagem não se ilude a esse ponto. A metáfora é política. Atinge as relações entre colonizadores e colonizados."

Está sendo um ano de muita emoção para Geraldine. Completa-se em 2014 o centenário da criação de Carlitos e, em toda parte, ela recebe o carinho que o mundo dispensa a seu pai, o lendário Charles Chaplin. Os olhos brilham. "O mundo quer reverenciar Carlitos. Aqui mesmo (na Mostra), haverá a sessão de O Circo com música ao vivo, sábado, no parque (do Ibirapuera). Se pudesse, ficaria. É tão bom ver que a humanidade de meu pai ainda tem ressonância no mundo atual."
Mas, no sábado, 1º, Geraldine já estará em Berlim, para mixar a própria voz no filme que fez com Daniel Bruhl, sob a direção de Wolfgang Petersen, Ich und Kaminsky.

Dia 9 estará na República Dominicana, para a estreia de Dólares de Areia. Uma semana mais tarde, acompanhará o filme num festival no Cairo. E, logo em seguida, estará na Espanha para filmar com J.A. Bayona, A Monster Calls, mas antes passa por Paris para o lançamento de um spot publicitário que fez com Karl Lagerfeld. Não é fácil saltar de um lugar para outro, como Geraldine tem feito. "Tenho casas na Suíça e na Espanha, mas atualmente posso dizer que moro em aviões."

E os filhos? "Correm mais que eu. Não temos tido tempo de nos encontrar, mas falamos todo dia por telefone, por Skype." Ela acaba de ler o livro de Kenneth Slawenski sobre a ligação do jovem J.D. Salinger com sua mãe, Oona ONeill.
"Fiquei muito tocada pela forma como Salinger idealizava minha mãe. O livro passa-se no pré-guerra. Narra uma história que não foi, mas poderia ter sido. E se minha mãe não tivesse se apaixonado por meu pai?" O que Geraldine mais gosta de fazer? "Comer." Mas como que ela se mantém delgada daquele jeito? "É uma vida de sacrifício. Se comesse tudo o que gosto, estaria obesa", ri. O repórter observa que ela virou uma personagem chapliniana - no brilho dos olhos, nos gestos. "Ai, que lindo! Assim você me faz chorar. Creio que achei meu caminho no mundo, mas tudo o que me liga a meu pai tem um significado especial. Ele não foi só um grande artista, um gênio. Foi um homem bom, ético, e isso não tem preço." As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
X
Olá! Faça seu cadastro no VitóriaNews.
{{app_feedback}}
{{getTitulo}}
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Comentando como
{{dados_login.nome}}
Sair
{{app_feedback_comment}}
{{comentario.nome}}
{{comentario.comentario}}