Chipre tenta resgatar 300 refugiados em barco à deriva - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Chipre tenta resgatar 300 refugiados em barco à deriva
Publicado por Editoria O GLOBO/VITORIANEWS
Imagem divulgada pelo Ministério da Defesa Chipre em 24 de Setembro, mostra um grande arrastão sobre barco de pesca lotadoado de pessoas no mar Mediterrâneo.

Um navio de cruzeiro do Chipre tenta resgatar nesta quinta-feira cerca de 300 imigrantes, em sua maioria mulheres e crianças, de uma embarcação encalhada na costa da ilha do mar Mediterrâneo. As autoridades suspeitam que os refugiados possam ser da Síria.

Autoridades disseram ter recebido um sinal de socorro nesta quinta-feira de manhã de uma pequena embarcação navegando a cerca de 50 milhas náuticas (92 quilômetros) a sudoeste da cidade de Paphos, na costa ocidental de Chipre.

- Nós estimamos que cerca de 300 pessoas estejam a bordo do barco, a maioria mulheres e crianças - disse um porta-voz do Ministério da Defesa à Reuters. - Elas estão em um pequeno barco de pesca e são, possivelmente, refugiados da Síria.

Fotos tiradas a partir de um helicóptero do Exército cipriota mostraram dezenas de pessoas sentadas no convés principal do que parecia ser uma traineira comercial. As condições meteorológicas na região eram ruins.

Não havia de imediato informações sobre a situação dos ocupantes do barco. Autoridades cipriotas estavam fazendo preparativos para receber os imigrantes e lhes fornecer tratamento médico, disse o Ministério da Defesa.

Neste ano, houve um aumento dramático do número de imigrantes que atravessam o Mediterrâneo em barcos superlotados - especialmente pessoas que fogem do conflito na Síria. A maioria vai para a Itália e Malta
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.