SuperVia é multada em R$ 240 mil pela circulação de trens com portas abertas - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
SuperVia é multada em R$ 240 mil pela circulação de trens com portas abertas
Publicado por Editoria O GLOBO

RIO - A SuperVia terá que pagar R$ 240 mil por descumprir liminar que obriga a concessionária a impedir a abertura indevida das portas dos trens em circulação. A decisão foi dada na tarde de ontem pela juíza Maria Isabel Paes Gonçalves, da 6ª Vara Empresarial do Tribunal de Justiça do Estado do Rio. A liminar, concedida em abril de 2009, estabelecia multa de R$ 20 mil para cada evento de circulação de composições com portas abertas.

Segundo o tribunal, as multas são por conta de descumprimentos nos dias 27 de outubro e 3 de novembro de 2011; 10 e 17 de fevereiro e 13 de abril de 2012; 12 e 15 de abril, 12 de novembro, 1º e 24 de outubro e 7 e 29 de novembro de 2013. Após ser intimada, a SuperVia terá 15 dias para pagar a multa de R$ 240 mil, sob pena de multa percentual de 10%.

Na semana passada, o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro protocolou na Justiça um pedido de multa de R$ 2,1 milhões contra a Supervia. Em nota, o MP informa que a petição é por conta do descumprimento de itens da liminar obtida na Justiça em 2009. Ela exige solução para a má qualidade dos serviços de trens, principalmente no que diz respeito a atrasos, tumultos, acidentes e paralisação dos serviços.

No dia 22 de janeiro, passageiros da SuperVia enfrentaram um dia de caos. Uma composição, que seguia da Central do Brasil para Saracuruna, atingiu a rede aérea ao descarrilar, por volta das 5h15m . Com isso, parte da estrutura que sustenta a fiação caiu, afetando o fornecimento de energia entre as estações Mangueira e Central. Por conta do acidente, a circulação ficou prejudicada em todos os ramais, já que os trens não podiam chegar à Central. Os ramais só voltaram a funcionar normalmente às 18h15m, 13 horas depois da interrupção no serviço.

Dois dias depois, usuários do serviço voltaram a enfrentar transtornos. Nas redes sociais, alguns reclamaram de filas enormes na estação de Nilópolis, na Baixada Fluminense, onde um trem apresentou problemas. De acordo com a concessionária, a composição teve de parar ao apresentar falha mecânica. Houve relatos de pessoas andando pelos trilhos até a estação seguinte, a de Olinda. Por causa do problema com o trem, passageiros dizem que ocorreram atrasos.
X
Olá! Faça seu cadastro no VitóriaNews.
{{app_feedback}}
{{getTitulo}}
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Comentando como
{{dados_login.nome}}
Sair
{{app_feedback_comment}}
{{comentario.nome}}
{{comentario.comentario}}