Parlamento turco dá ao governo mais controle sobre Judiciário - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Parlamento turco dá ao governo mais controle sobre Judiciário
Publicado por Editoria O GLOBO

ANCARA - O Parlamento turco aprovou neste sábado um controvertido projeto de lei dando ao governo mais controle sobre a indicação de juízes e promotores. A lei foi votada por iniciativa do governo, sacudido por um escândalo político-financeiro, depois de um tumultuado debate entre deputados do partido no poder e da oposição. Ali Ihsan Kokturk, do Partido Republicano do Povo, principal legenda da oposição, teve o nariz quebrado. Outro legislador quebrou um dedo.

Antes da votação, o primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan anunciou o veto dos artigos mais polêmicos do texto que reforma o Alto Conselho de Juízes e Magistrados, o corpo que indica os membros seniores do Judiciário. A oposição afirma que o texto que dá a última palavra ao ministro da Justiça na nomeação de juízes, diz que é contrário à Constituição e que o único objetivo é permitir que o governo sufoque as investigações contra ele.

A batalha pelo controle do conselho está no centro de uma disputa entre o Erdogan e o clérigo turco radicado nos Estados Unidos Fethullah Gulen. Gulen tem desenvolvido uma importante influência sobre a polícia e o Judiciário durante décadas. Erdogan o culpa por desencadear uma investigação sobre corrupção que acredita ter como objetivo derrubá-lo.

Para poder entrar em vigor, a lei ainda deve ser assinada por Erdogan.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.