Governo paquistanês não comparece a encontro com Talibã - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Governo paquistanês não comparece a encontro com Talibã
Publicado por Editoria O GLOBO

ISLAMABAD - A frustração marcou o que deveria ser a primeira rodada de negociações entre o grupo fundamentalista Talibã e o governo do Paquistão. O movimento, responsável por diversos atentados no país, afirmou que esperou em vão pelo comparecimento de representantes do governo ao local marcado em Islamabad. O governo, por sua vez, disse que deseja obter mais informações sobre os três representantes indicados pelo grupo Tehreek-e-Taliban Pakistan (TTP) antes de as negociações começarem. O grupo criticou duramente o não comparecimento do governo à reunião que deveria começar a estabelecer as diretrizes para uma negociação de paz.

- Hoje ficou clara a seriedade do governo sobre as conversas - ironizou o principal negociador talibã, Sami ul-Haq. - Eles transformam as negociações em piada. De um lado, dizem que estão conversando com o Talibã, mas de outro brincam com as negociações.

Segundo o clérigo paquistanês Maulana Samiul Haq, escolhido pelo movimento fundamentalista para representá-lo, a equipe aguardou no local marcado, mas a equipe do governo não apareceu. Já um Rahimullah Yousufzai, membro da delegação do governo, disse que eles aguardavam a confirmação do Talibã sobre a equipe negociadora.

O fato marca as dificuldades e o ceticismo que marcam a delicada aproximação entre os dois lados. Muitos especialistas apontam problemas dos dois lados, como ambos defendendo objetivos a curto prazo; a falta de o governo apresentar um plano para processo de paz duradouro; a dificuldade em fazer o grupo aceitar a autoridade do Estado em áreas controladas pelas tribos, entre outros fatores.

Somente em janeiro mais de cem pessoas morreram em ataques no país. Foram milhares nos últimos anos. Com as conversas, o governo pretendia estabelecer um cessar-fogo. Em troca, o grupo pretendia obter a libertação de integrantes presos.

O governo acredita que ainda poderá retomar o contato esta semana, uma vez que suas dúvidas sobre a equipe negociadora adversária sejam esclarecidas. A delegação talibã, no entanto, já se retirou de Islamabad.
X
Olá! Faça seu cadastro no VitóriaNews.
{{app_feedback}}
{{getTitulo}}
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
Comentando como
{{dados_login.nome}}
Sair
{{app_feedback_comment}}
{{comentario.nome}}
{{comentario.comentario}}