segunda-feira, 27 junho, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

‘Tem que dar mais para quem tem menos’

RIO – Diretora-executiva do Todos pela Educação, Priscila Cruz ressalta ainda que, mesmo dentro da média brasileira, existe muita desigualdade e que chega a ser cruel que alunos com maior vulnerabilidade socioeconômica tenham os professores mais mal remunerados:

– O pior recebe menos e o melhor recebe mais. Essa forma de distribuição é muito ruim. Teria que haver mecanismos de incentivo, financeiros até, para os melhores professores irem trabalhar nas áreas periféricas, que têm mais problemas para melhorar o Ideb. Tem que dar mais para quem tem menos na Educação, senão essa situação de desigualdade pode se aprofundar, o que, no campo da Educação, é muito ruim porque isso se reflete também na desigualdade socioeconômica da população.

Para Priscila, além do salário, o professor é valorizado de outras duas formas: com o reconhecimento da sociedade e com a infraestrutura necessária para trabalhar.

E é justamente esse último item que mais desanimou a pedagoga Juliana Sales em seguir com o cargo de professora infantil da rede municipal de São Paulo.

– Cheguei a dar aula para 30 alunos numa sala em formato de L. Lembro que não conseguia ver todos os alunos enquanto estava na frente da sala. Além disso, tinha uma pilastra no meio que tornava o ambiente perigoso para as crianças e não havia circulação de ar adequada – conta a profissional, que hoje atua como consultora educacional em uma ONG.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas