Obama: 'Maconha não é mais perigosa do que álcool' - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Obama: 'Maconha não é mais perigosa do que álcool'
Publicado por Editoria O GLOBO

WASHINGTON - O presidente dos EUA, Barack Obama, acredita que a maconha não é mais perigosa do que o álcool ou tabaco, mas não considerou que a legalização é uma "panaceia" para resolver todos os problemas, de acordo com uma entrevista publicada neste domingo pela revista "New Yorker".

- Como foi bem documentado, fumei maconha quando era jovem e eu vejo como um mau hábito e um vício não muito diferente dos cigarros que fumei durante a minha juventude e grande parte da minha vida adulta. Não acho que seja mais perigosa do que álcool - afirmou Obama na entrevista.

O presidente explicou que considera "menos perigoso em termos de seu impacto sobre o consumidor". Mas disse não encorajar o consumo.

- Eu disse as minhas filhas que é uma má idéia, um desperdício de tempo e não é muito saudável.

Obama destaca que o principal problema com o consumo de cannabis nos Estados Unidos são as penas desproporcionais e como eles afetam as minorias.

- A classe média não fica presa por fumar maconha, mas as crianças pobres ficam - disse ele.

Em seu primeiro livro, "Dreams From My Father" (1995), Obama escreveu, antes de entrar para a política, que tinha usado maconha e cocaína. Ele disse que não tinha experimentado heroína porque não gostava do traficante que estava tentando vender a substância a ele.
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.