quinta-feira, 7 julho, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

México enfrenta milícias de autodefesa que lutam contra narcotraficantes

APATZINGAN – As forças de segurança no México entraram em confronto com milícias comunitárias de autodefesa criadas por cidadãos para combater narcotraficantes. O combate começou na noite de segunda-feira e se estendeu pela terça-feira.

O Estado mexicano já havia revindicado para si a responsabilidade de impor a ordem no estado de Michoacán, marcado há anos pela violência do narcotráfico.

Segundo o procurador federal Jesús Murillo Karam, apenas uma batalha foi travada. Ele não mencionou vítimas, mas a imprensa mexicana fala em ao menos dois dois mortos.

Uma comunidade das milicias no Facebook, usada pela mídia mexicana para acompanhar informes sobre conflitos e mortes, reportou a morte de duas pessoas. Um vídeo postado nesta terça-feira mostra imagens de pessoas discutindo com um militar, depois se escutam detonações e logo em seguida aparece o corpo de um homem ensanguentado. O nome do vídeo é “Exército mata homem desarmado”.

No ano passado, centenas morreram em confrontos com traficantes.

O território em que as forças federais estão entrando é conhecida como Terra Quente. É nessa área, cuja principal cidade é Apatzigan, que as autodefesas travam conflitos armados com narcotraficantes do grupo Cavalheiros Templários.

O secretário de Governo, Miguel Angel Osorio Chong, reafirmou que o Estado irá assumir o controle sobre a região e pediu que as forças de autodefesa deixem as armas.

– Fiquem seguros de que nós iremos conter a violência em Michoacán – dissedo governador do estado, Fausto Vallejo.

As milícias de autodefesa são formadas por cidadãos e lideradas por empresários que afirmam ter optado por se armarem após concluirem que o Exército e o Estado não eram capazes de protegê-los contra as extorsões dos traficantes.

Hiólito Mora, líder em um desses grupos, afirmou à imprensa que atenderia ao pedido do secretário de governo de se desarmar, mas apenas após ver os traficantes presos.

Enquanto isso não ocorre, afirmam os milicianos, eles irão continuar com seu esforço para enfraquecer o poderoso carte de Cavalérios de Templários.

Analistas de segurança, entretanto, afirmam que muitas milícias de autodefesa podem ter a participação de membros de outras gangues.

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, enviou tropas para o Michoacán em maio para lutar contra o narcotráfico. Em novembro, foi a vez da Marinha ser acionada para retomar as operações do porto de Lázaro Cárdenas, que havia sido tomado pelos Cavaleiros Templários.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas