Governo turco demite 350 policiais após detenções atingirem aliados de premier - Vitória News
Vitória News
Olá. Detectamos que você está usando o Internet Explorer ou o Edge.

Nosso site é compativel somente com os navegadores Google Chrome, Mozilla Firefox, Safari ou Opera.

Use um desses navegadores caso já tenha instalado em seu dispositivo ou faça o download clicando no botão abaixo. Você será redirecionado para uma página onde poderá escolher o navegador que desejar e ele será baixado diretamente de sua página oficial de forma segura.
Clique aqui para atualizar o seu navegador
Geral
Governo turco demite 350 policiais após detenções atingirem aliados de premier
Publicado por Editoria O GLOBO

ANCARA - A Turquia demitiu 350 policiais de seus postos na capital Ancara, informaram as autoridades nesta terça-feira, no mais recente episódio da queda de braço entre o Executivo e o Judiciário. Eles serão substituídos por funcionários principalmente de fora da cidade.

A medida do governo é uma resposta à operação do Judiciário contra corrupção que levou à prisão preventiva de aliados do primeiro-ministro Recep Tayyip Erdogan, incluindo filhos de dois ministros, acusados de suborno, corrupção e ingerência em projetos públicos.

Também foram presos o executivo-chefe do banco estatal Halk Bank, Suleyman Aslan, um importante empresário do setor de construção civil e catorze funcionários do governo.

De acordo com analistas locais, as demissões visam a enfraquecer a influência de Fethullah Gulen, um pregador islâmico no exílio nos Estados Unidos, cujos seguidores são especialmente numerosos nas forças de segurança e no sistema judiciário.

Erdogan atribuiu a operação anticorrupção a uma conspiração contra o seu governo e prometeu erradicar as "gangues que operam sob o pretexto da religião" para estabelecer um Estado paralelo, em uma clara referência a Gulen. O primeiro-ministro acusou o Judiciário e a polícia de "trama suja".
Comentários
Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do VitóriaNews.