terça-feira, 28 junho, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Conselho de Segurança de Niterói sugere patrulhamento da PM na Ponte

RIO – O presidente do Conselho Comunitário de Segurança de Niterói, Leandro Santiago, disse na segunda-feira que a entidade pretende encomendar a especialistas um estudo de viabilidade para que a Ponte Rio-Niterói passe a ser patrulhada pela Polícia Militar. Segundo ele, a maioria dos bandidos que migraram do Rio para Niterói passa pela ponte.

Na visão de Santiago, é necessária a realização de ações de fiscalização constantes no pedágio para inibir a entrada dos bandos em Niterói, como mostrou reportagem do GLOBO no domingo. Atualmente, o 12º BPM tem 820 PMs, o que representa um policial para cada 750 habitantes. A unidade é responsável pelo policiamento de uma área de 469 quilômetros quadrados (Niterói e Maricá), que tem 614.846 habitantes.

Com um efetivo de um policial para cada 800 habitantes, o 12º BPM (Niterói), cuja área abrange Niterói e Maricá, está se adequando às necessidades impostas pela ação de bandidos na cidade. Neste domingo, o GLOBO publicou reportagem mostrando a insegurança que tomou conta da população, especialmente em São Francisco, onde a professora Vânia Brandão Portes, de 57 anos, foi morta a facadas dentro de casa no dia 6 de dezembro. Naquele bairro, por exemplo, onde a única cabine da Polícia Militar foi desativada há dois anos, o policiamento tem sido feito por PMs em bicicletas. Segundo o comandante da unidade, seis PMs patrulham as ruas internas diariamente.

No último levantamento divulgado pelo Instituto de Segurança Pública (ISP), do governo do estado, houve aumento de homicídios dolosos (116%) em setembro de 2013, em comparação ao mesmo mês de 2012. Homicídio doloso é quando há intenção de matar. Foram 13 assassinatos no ano passado, contra 6 em 2012.

Pelos dados do ISP, também subiram em Niterói, nesse período, os casos de latrocínio (roubo seguido de morte), os roubos – ao comércio (63%), a residências (214%) e de veículos (74%) – e os furtos de veículos (14%). Em São Francisco, as maiores altas foram homicídios, latrocínios, estupros, roubos de pedestres, roubos e furtos de veículos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas