quarta-feira, 25 maio, 2022
em conformidade com o que estabelece a junta comercial do es - jucesspot_img

Brahimi diz que negociações sobre Síria continuam semana que vem

GENEBRA – O mediador da ONU para o conflito na Síria, Lakhdar Brahimi, garantiu que as negociações entre o governo e a oposição do país árabe continuarão neste sábado em Genebra, na Suíça, e devem se estender até o fim da semana que vem. Horas antes, o chanceler sírio, Walid al-Muallem, disse que se não houvesse nenhuma reunião séria até amanhã, a delegação do governo iria embora da conferência de paz, chamada de Genebra II.

Brahimi e uma delegação do governo sírio se reuniram nesta sexta-feira na sede das Nações Unidas em Genebra, e o mediador deve se reunir com a delegação da oposição à tarde. A televisão estatal disse que o encontro foi marcado por uma “atmosfera positiva”, mas com ameaça de saída de representantes do regime e críticas à oposição.

– Se não houver sessões de trabalho sérias até sábado, a delegação oficial síria vai deixar Genebra devido à falta de seriedade ou preparação do outro lado – disse Moualem, segundo a TV estatal, que citou uma fonte das Nações Unidas.

Os planos para os dois lados do conflito se sentarem pela primeira vez à mesa de negociações foram descartados de última hora nesta sexta-feira. Representantes da oposição se recusaram a manter conversações diretas de paz até que o regime de Bashar al-Assad apoie formalmente o comunicado de Genebra de 30 de junho de 2012 que determina a criação de um órgão de governo de transição.

Mais cedo, o ministro da Informação sírio, Omran Zoabi, disse à Reuters que o regime sírio não vai aceitar as exigências da oposição.

– Não, não vamos aceitar isso (governo de transição) – disse à Reuters Zoabi.

A representante do regime sírio Bouthaina Shaaban culpou a oposição pela falta de diálogo direto, afirmando que sua delegação está disposta a negociar.

A conferência de paz começou na quarta-feira sob clima de tensão, com ambas as partes se acusando mutuamente de terrorismo e de cometes crimes contra a humanidade. No primeiro dia da reunião, o secretário de Estado americano, John Kerry, defendeu um governo de transição sem a participação de Assad. Já o chanceler sírio afirmou que quem deve decidir o destino do país e do presidente é o próprio povo.

POSTAGENS RECENTES

EDITORIAS

Relacionadas